CAMPINAS

Grupo protesta contra 600 mil mortos por covid em evento com Bolsonaro

Ao gritos de "Fora Bolsonaro", presidente rebateu: "Não vamos nos rebaixar ao nível deles, não. Eu sairei daqui imediatamente se me responder quanto são 7 vezes 8. Raiz quadrada de quatro? Saio agora daqui"

Ingrid Soares
postado em 08/10/2021 18:40 / atualizado em 08/10/2021 18:42
 (crédito: Reprodução / TV Brasil)
(crédito: Reprodução / TV Brasil)

Um grupo protestou nesta sexta-feira (8/11) contra o presidente Jair Bolsonaro durante discurso do chefe do Executivo na 1ª Feira Brasileira do Nióbio, em Campinas. Assim que o presidente foi chamado ao palco, um grupo, formado em sua maioria por mulheres do Afronte!, bradou entre outras palavras "Fora Bolsonaro". Em seguida, foi retirado pela organização do evento.

As mulheres protestaram contra as "600 mil mortes por covid-19 no Brasil. Corte de 92% no orçamento de Ciência e Tecnologia. Bolsonaro vetou o PL de seguridade menstrual. Fora Bolsonaro! Osso e fome na mesa do povo brasileiro. Viva a universidade pública".

O presidente ironizou: "Não vamos nos rebaixar ao nível deles, não. Eu sairei daqui imediatamente se ela me responder quanto são 7 vezes 8. Raiz quadrada de quatro? Saio agora daqui".

"São dignos de pena. Temos dó de pessoas que agem dessa maneira mas é a vida. Nós temos que lutar por eles também", continuou.

 
 
 
View this post on Instagram

Uma publicação compartilhada por Afronte! (@afrontenacional)

Um caso semelhante ocorreu no último dia 30 em Belo Horizonte. O chefe do Executivo foi xingado por uma manifestante contrária ao governo enquanto discursava. A mulher gritou e o chamou de "assassino".

O chefe do Executivo falava que, dos mil dias de governo, 600 foram em meio à pandemia da covid-19, que matou, à época, mais de 596 mil brasileiros. Após a mulher bradar os gritos, Bolsonaro passou cerca de um minuto em silêncio, observando a situação.

Depois, rebateu afirmando que a esquerda não tem cérebro e que não é possível discutir sobre política com o segmento. "Calma aí, pessoal. Isso é bom que aconteça. Eu não vou ofender essa senhora que proferiu essas palavras que nem deu para entender. Diz um velho ditado: quem até os 30 não foi de esquerda, não tem coração. Quem depois dos 30 continua na esquerda, não tem cérebro", disse na data.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE