COP 26

"Brasil e Colômbia chegarão unidos" na COP 26, diz Bolsonaro em encontro com Duque

"Com toda a certeza, chegaremos unidos em Glasgow para tratarmos de um assunto muito importante e caro para todos nós: a nossa querida, rica e desejada Amazônia", apontou presidente da República

Ingrid Soares
postado em 19/10/2021 14:26 / atualizado em 19/10/2021 15:02
 (crédito: Reprodução/YouTube)
(crédito: Reprodução/YouTube)

O presidente Jair Bolsonaro recebeu nesta terça-feira (19/10), no Palácio do Planalto, o presidente da Colômbia, Iván Duque, que está em visita oficial ao Brasil. Após reunião fechada, eles assinaram acordos bilaterais em áreas como água e saneamento, investimentos aéreos, segurança e agricultura. O chefe do Executivo brasileiro destacou o trabalho conjunto que os países farão na 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-26), realizada em Glasgow, na Escócia, a partir de 1º de novembro.

“Com toda a certeza, chegaremos unidos em Glasgow para tratarmos de um assunto muito importante e caro para todos nós: a nossa querida, rica e desejada Amazônia”, apontou Bolsonaro.

O presidente relatou ainda o bom relacionamento entre os dois países e relatou o conteúdo do encontro. “Conversamos reservadamente e depois de forma ostensiva com nossos ministros, onde trocamos informações, bem como interesses mútuos que nos preocupam e também que podem levar ao melhor desenvolvimento de nossos países. Assim foi na questão da saúde, em que a Colômbia apresenta um alto grau de imunização e a doença tem regredido também, assim como no Brasil, onde nós esperamos voltar brevemente à normalidade”, apontou.

Segundo ele, também foram tratados assuntos de interesse em questões energéticas, biodiesel e etanol, além da cooperação fronteiriça e de segurança.

“As Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), obviamente, nos preocupam e não é só na Colômbia. Temos um bom relacionamento, também somado a isso a questão da defesa, onde o presidente manifestou seu interesse em renovar sua frota de aviões e treinamento, em especial da família dos super tucanos. Falamos também sobre ciência e tecnologia, e também da agricultura. A segurança alimentar é sempre o objetivo permanente de qualquer país. Essa cooperação conosco, creio que temos muito a trocar informações para que cada vez mais nós possamos, além de nos entender, provocar melhorias para os nosso povos. Mais uma vez, queria agradecer a visita do nobre presidente Ivan e dizer que o Brasil sempre estará de braços abertos para o seu país”, concluiu.

O presidente colombiano, Iván Duque, também ressaltou a defesa e a preservação da Amazônia. Ele afirmou que os países da região amazônica levarão a Glasgow “mensagem inequívoca” de proteção ao local.

“Estamos trabalhando em um propósito muito louvável que é a preservação e proteção da Amazônia. A Amazônia para nós é um território muito valioso e cuidamos dela dentro de nossa soberania, mas é também muito importante que essa defesa traga consigo uma luta eficaz aos direitos ambientais. A Colômbia tem avançado nessa frente, assim como o Brasil. Quero destacar os esforços que este ano já se vê com resultados notáveis na luta contra esse crimes que tanto nos dói”.

“Dividimos também essa ideia de chegar a Glasgow, nós países das região amazônica, com uma mensagem, uma mensagem inequívoca de proteger esse território e reconhecer que esse território somente conservando-o pode-se chegar a capturar mais de 2 bilhões de toneladas de gases de efeito estufa por ano. Isso reafirma que nossa missão em Glasgow será não somente trabalhar pela transição energética, mas pela redução de emissões e alcançar também a carbono neutralidade e fazer como uma grande proteção de nossos bosques tropicais e Amazônia”, disse.

Iniciativa privada

Duque também falou sobre a relação comercial com o Brasil e defendeu a iniciativa privada. “Temos uma relação comercial crescente. Queremos que as exportações de Colômbia a Brasil cresçam, mas também de Brasil a Colômbia, e que seja uma relação ganho a ganho”, destacou.

Por fim, agradeceu a cooperação em Saúde e sinalizou reforçou da parceria. “É uma visita que reafirma que o Brasil e a Colômbia têm uma história comum que já são muitos anos, décadas, fortalecendo, e que hoje segue ao ponto mais alto para seguir construindo essa irmandade”, concluiu.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE