Pandemia

CPI da Covid: relembre os principais momentos da comissão

Sessões tiveram revelações sobre descaso do governo federal diante da pandemia, testemunhas caindo em contradição e bate-boca entre parlamentares. Senadores devem votar relatório final na próxima quarta-feira (26/10)

Luana Patriolino
postado em 20/10/2021 23:23
 (crédito: Edilson Rodrigues/Agência Senado/AFP)
(crédito: Edilson Rodrigues/Agência Senado/AFP)

O relatório final da CPI da Covid foi lido nesta quarta-feira (20/10) e aguarda apreciação dos senadores. O documento deve ser votado na próxima quarta (26/10) no Senado. Os trabalhos do colegiado foram iniciados em 27 de abril para investigar a atuação do governo de Jair Bolsonaro no enfrentamento da pandemia de covid-19.

A instalação da comissão aconteceu após uma decisão do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF). Em quase seis meses de trabalho, o grupo colheu mais de 50 depoimentos, quebrou 251 sigilos, analisou 9,4 terabytes de documentos e fez mais de 60 reuniões.

Nas sessões, a CPI teve diversas revelações sobre ações e omissões do governo federal, testemunhas caindo em contradição, bate-boca entre parlamentares, senadores governistas fazendo perguntas com base em notícias falsas, depoimentos de vítimas do novo coronavírus e outros momentos marcantes.

Confira

  • Os ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich prestaram depoimento na CPI. Ambos relataram que deixaram o governo em meio à pandemia por discordâncias com Bolsonaro em relação à condução do combate à covid-19;
  • O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fugiu de perguntas e foi reconvocado para a CPI
  • No dia 7 de julho, durante sessão da comissão, o presidente da CPI, Omar Aziz, determinou a prisão do ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, sob acusação de que ele teria mentido em seu depoimento;
  • Presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, confirmou tentativa do governo de mudar bula da cloroquina;
  • Pfizer confirmou que o governo brasileiro rejeitou 70 milhões de doses;
  • Depoimentos de Ernesto Araújo e Fábio Wajngarten causam tumulto na comissão;
  • Pazuello faz depoimento cheio de contradições e busca preservar Bolsonaro;
  • Mayra Pinheiro, a "capitã cloroquina", admite ser autora de áudio que circulou pelas redes sociais espalhando notícias falsas sobre a Fiocruz;
  • Instituto Butantan afirma que o governo Bolsonaro também rejeitou suas vacinas;
  • Prevent Sênior: o plano de saúde é acusado de irregularidades durante o atendimento de pacientes diagnosticados com covid-19: omitiu atestados de óbitos, ocultou mortes em estudo e realizou testes em pacientes com hidroxicloroquina;
  • VTCLog: representantes da empresa depõem sob suspeita de pagamento de propina a políticos e servidores ligados ao Ministério da Saúde;
  • Irmãos Miranda denunciam um suposto esquema de corrupção envolvendo a compra da vacina indiana Covaxin;
  • Líder do governo na Câmara, o deputado Ricardo Barros (PP-PR) enfrenta senadores na CPI;
  • Machismo: o ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, chama a senadora Simone Tebet (MDB-MT) de "descontrolada" após não conseguir responder aos questionamentos da parlamentar;
  • Renan Calheiros provoca mal-estar entre senadores da CPI após divulgação antecipada de trechos do relatório;
  • CPI ouve depoimento de familiares de vítimas da covid-19. Em vários momentos, convidados e senadores vão às lágrimas;
  • Senadores da CPI da Covid se reúnem para a leitura do relatório final, elaborado pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL). Mais de 60 pessoas são indiciadas. O presidente Jair Bolsonaro é acusado de nove crimes.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE