Meio Ambiente

Bolsonaro diz ter intenção de construir "meia dúzia de represas" em Roraima

Ao visitar comunidade indígena em Roraima, Bolsonaro comenta sobre potencial hídrico da região para abastecer energeticamente Norte e Nordeste. Também fala sobre interesse de exploração de terras pelos indígenas

Tainá Andrade
postado em 28/10/2021 20:22
 (crédito: Reprodução )
(crédito: Reprodução )

A alguns dias da COP 26, a qual Bolsonaro já afirmou que não comparecerá por "estratégia", o presidente aproveitou sua live semanal para comentar sobre a viagem que fez na terça-feira (26), a Roraima, com o ministro da Cidadania, João Roma. A visita deu as autoridades a oportunidade de visitar a comunidade Flexal, no município de Uiramutã. De acordo com o presidente, os indígenas manifestaram o desejo de explorar a região, inclusive por meio do garimpo

Exibindo uma foto em que ele, com um cocar na cabeça, e Roma estavam rodeados de indígenas da aldeia - de acordo com o presidente, em clima “amistoso” -, ele defendeu o projeto de lei 191, que tramita na Câmara dos Deputados, de iniciativa do governo, para regulamentar a exploração de recursos minerais, hídricos e orgânicos em reservas indígenas.

“Muita gente fica contra, mas deixa o índio cuidar da vida dele. Continuar como algo a ser preservado, eles têm direitos a sua cultura. Terá direito caso a gente aprove o projeto no Congresso para fazer da sua terra exatamente o que um fazendeiro do lado faz na terra dele”, defendeu.

Potencial hídrico

A prioridade do presidente era visitar o centro da Operação Acolhida, onde considera que os venezuelanos recebidos estão “fugindo do socialismo para o Brasil”, mas ele também sobrevoou a extensão do Rio Cotingo e conheceu a comunidade indígena.

O mandatário também falou sobre o potencial hídrico do Vale do Rio Cotingo e demonstrou o interesse em construir “meia dúzia de represas” na região. Na sua lógica, a ação afastaria o Brasil da possibilidade de racionamento, caso ocorra escassez de chuvas.

“Não sou engenheiro, mas pelo que vi da extensão do Vale, ali tem tudo para gerar energia e abastecer toda a região Norte e Nordeste. Nós não podemos continuar vivendo como estamos, ainda muito preocupados com a falta de chuva, em quantidade suficiente para encher os reservatórios em todo o Brasil”, declarou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE