PEC dos Precatórios

PEC dos Precatórios: acordo sobre Fundef pode reverter votos da oposição

Fatiamento do pagamento dos precatórios do Fundef fora do teto pode fazer PDT e PSB mudarem posicionamento contra a PEC, segundo deputado

Israel Medeiros
Cristiane Noberto
postado em 03/11/2021 15:39 / atualizado em 03/11/2021 16:37
 (crédito: Cleia Viana/Câmara dos Deputados)
(crédito: Cleia Viana/Câmara dos Deputados)

Em meio a intensas negociações para votar a PEC dos Precatórios ainda nesta quarta-feira (3/11), há a possibilidade de parlamentares de partidos como o PDT e PSB passarem a apoiar a proposta. A informação veio do deputado Ubiratan Sanderson (PSL-RS), que esteve na reunião de Arthur Lira (PP-AL) com lideranças partidárias nesta tarde.

Segundo o parlamentar, há uma tentativa de acordo no sentido de fatiar o pagamento de precatórios do Fundo do Ensino Fundamental (Fundef) fora do teto. “Isso é algo que está sendo cogitado e, com isso, traríamos partidos que eram contrários e que passariam a ser a favor, como o PDT e PSB”, disse Sanderson.

O PSB é o partido do líder da oposição, Alessandro Molon (RJ), que disse ontem ao Correio que os precatórios devidos à educação eram o principal motivo do posicionamento contrário à proposta. Até essa terça-feira (2), membros da oposição diziam que sua posição sobre a PEC já estava fechada e que não havia mais possibilidade de negociação.

Parlamentares do PT, que se reúnem para definir como procederá com a questão, já adiantaram que devem manter a posição contrária ao projeto. Em conversas reservadas ontem, eles também duvidavam da possibilidade de votação da PEC 23 nesta quarta-feira, mas o governo e seus aliados já estavam confiantes.

Até a madrugada

Hoje, a expectativa aumentou e a Mesa Diretora da Câmara chegou a marcar a votação para às 18h no Plenário da Casa, em sessão presencial. Vários deputados, no entanto, só chegarão a Brasília após as 19h, então a sessão pode ir até a madrugada.

“A ideia é votar hoje, tem que ter quórum para votar e estamos trabalhando para isso. E, provavelmente, com a construção que estamos fazendo hoje com a participação ativa do presidente da Câmara, Arthur Lira, e do líder do governo, Ricardo Barros, teremos condições de votar hoje com quórum e aprovar a PEC 23”, disse Ubiratan Sanderson.

Na reunião com Lira estiveram presentes nomes como Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara, e o ministro da Cidadania, João Roma, além dos demais líderes de bancadas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE