Precatórios

'Temos votos para aprovar a PEC dos precatórios', diz Ricardo Barros

Segundo o líder do governo, já há votos suficientes para passar a proposta em dois turnos nesta quarta-feira (3/11). Lira deve permitir votação virtual para atingir quórum necessário

Israel Medeiros
Cristiane Noberto
postado em 03/11/2021 15:39 / atualizado em 03/11/2021 16:33
 (crédito: EVARISTO SA)
(crédito: EVARISTO SA)

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), já tem os votos necessários para aprovar a PEC dos Precatórios em sessão marcada para esta quarta-feira (3/11), às 18h. É o que garantiu o líder do governo na Casa, Ricardo Barros (PP-PR), após uma reunião com líderes da base na casa de Lira.

"Nós achamos que vamos ter uma boa quantidade de votos para aprovar a PEC dos Precatórios hoje em primeiro e segundo turno", disse. Quando questionado sobre quantos votos estavam garantidos, Barros disse: "O suficiente para aprovação".

Segundo ele, o governo continua trabalhando com o plano A, de aprovar a PEC dos Precatórios hoje e enviá-la para o Senado na sequência. Na semana passada, o Ministério da Economia jogou a responsabilidade para o Congresso e disse que o governo só trabalha com a possibilidade de aprovação da PEC para bancar o Auxílio Brasil.

"Nós fizemos uma boa reunião com os líderes da base, temos uma boa contagem de presença aqui em Brasília e estamos trabalhando agora os votos. Alguns estão pedindo para ver o parcelamento do Fundef. O relator, Hugo Motta, está, então, conversando com os governadores, com os deputados, com as bancadas que são mais ligadas à educação, que estão se comprometendo a votar se houver essa possibilidade", pontuou.

Não há, segundo Barros, acordo firmado com a oposição, mas ele disse que Lira e a ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, estão conversando para chegar a isso. Antes dele, o deputado Ubiratan Sanderson (PSL-RS) disse que um acordo sobre o pagamento de precatórios do Fundef poderia reverter os votos contrários de alguns partidos como PDT e PSB.

Desde o dia 26 de outubro todas as sessões estão ocorrendo apenas presencialmente, o que dificultou a aprovação. Na semana passada, cerca de 50 deputados levaram falta por não aparecerem para votar. "Nós estamos trabalhando, temos um bom quórum, alguns deputados vão chegar lá pelas 19h", avisou Barros.

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE