5G

Mourão afirma que 5G fará uma revolução na comunicação da Amazônia

Já para ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, o novo tipo de conectividade irá ajudar na comunicação de ações do governo na região

Tainá Andrade
postado em 04/11/2021 13:53 / atualizado em 04/11/2021 13:55
 (crédito: Nathalia Segato/Unsplash)
(crédito: Nathalia Segato/Unsplash)

Um destaque do painel da 26ª edição da Conferência da ONU sobre o Clima, a COP26, em Brasília, que tinha o ministro Joaquim Leite e o vice-presidente Hamilton Mourão como convidados, foi o início do leilão do 5G nesta quinta-feira (4/11). Para as autoridades, a chegada do novo tipo de conectividade irá revolucionar a comunicação na Amazônia, já que irá ajudar em ações do governo para a região.

De acordo com o ministro, a comunicação na região é um desafio. “O leilão trará a conectividade para o território. Não estar conectado é perder as oportunidades”, ressaltou.

A licitação prevê que as empresas comecem a oferecer o 5G até 31 de julho de 2022, mas o cumprimento desse compromisso e a qualidade do serviço dependem dos ajustes que os próprios municípios terão que realizar, de acordo com as empresas de telefonia.

Um levantamento feito pela Conexis Brasil Digital mostrou que apenas sete das 27 capitais brasileiras estão totalmente preparadas para fornecerem o 5G aos usuários.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE