SABATINA

"Tudo parado", diz Davi Alcolumbre sobre sabatina de Mendonça

Indicado do presidente Jair Bolsonaro para assumir uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF) espera há quase quatro meses por sabatina no Senado

Luana Patriolino
postado em 09/11/2021 16:55
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), admite que ainda não tem prazo para pautar a sabatina do ex-advogado-geral da União André Mendonça — indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir o cargo de ministro no Supremo Tribunal Federal (STF).

“Tudo parado”, disse o senador a jornalistas, antes de entrar em uma “sessão relâmpago” na CCJ de 10 minutos, na qual o colegiado votou um relatório sobre emendas do Orçamento.

Mendonça aguarda desde 13 de julho o processo que decidirá se o seu nome será aprovado ou rejeitado pela Corte. A indicação de um presidente ao STF nunca demorou tanto tempo para ser avaliada pelo Senado. André Mendonça foi escolhido por Bolsonaro para ser o seu ministro “terrivelmente evangélico” no STF. Ele precisará da maioria (41) dos votos dos 81 senadores para se tornar apto a ocupar o cargo.

Por conta da situação, o senador vem sendo pressionado pelos seus pares para marcar o processo. Na semana passada, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), pediu um “esforço coletivo” para destravar indicações e outros assuntos pendentes na Casa. No entanto, para Alcolumbre, o movimento não deve surtir efeito na sabatina do indicado do presidente.

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE