Sabatina

Mendonça diz que democracia não foi conquistada com derramamento de sangue

Ex-advogado-geral da União é sabatinado nesta quarta-feira (1º/12) no Senado. Expectativa é de que o nome seja aprovado, mas com o placar apertado

Israel Medeiros
Luana Patriolino
postado em 01/12/2021 14:32
 (crédito:  Edilson Rodrigues/Agência Senad)
(crédito: Edilson Rodrigues/Agência Senad)

Sabatinado pelo Senado para a vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal, o ex-Advogado-Geral da União, André Mendonça, disse que o Brasil não conquistou a democracia com derramamento de sangue. Em sessão da Comissão de Constituição e Justiça nesta quarta-feira (1º/12), ele foi questionado sobre suas posições a respeito de falas antidemocráticas do presidente Jair Bolsonaro (PL).

“A democracia é uma conquista para a humanidade. Para nós, não, mas em muitos países ela foi conquistada com sangue derramado e com vidas perdidas. Não há espaço para retrocessos. E o Supremo Tribunal Federal é o guardião desses direitos humanos”, disse Mendonça, ao afirmar que terá compromisso com a Constituição Federal. O ex-advogado-geral da União também evitou falar sobre o regime militar em sua resposta.

O Senado sabatina hoje o ex-advogado-geral da União, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). A espera de quase cinco meses foi marcada por uma série de polêmicas, ataques e especulações a respeito de um novo nome à Corte. A expectativa é de que o ex-AGU seja aprovado, mas com o placar apertado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE