CORRIDA ELEITORAL

Moro anuncia giro pelo país e alfineta adversários: "pelegos e milicianos"

Comentário do ex-juiz foi uma referência ao ex-presidente Lula (PT) e a Jair Bolsonaro (PL). Pré-candidato à Presidência da República, ex-ministro afirmou que estará na Paraíba esta semana

Luana Patriolino
postado em 05/01/2022 17:46
 (crédito: PODEMOS/REPRODUÇÃO)
(crédito: PODEMOS/REPRODUÇÃO)

O ex-juiz Sergio Moro (Podemos) anunciou, nesta quarta-feira (5/1), o início de viagens pelo Brasil. Pré-candidato à Presidência da República para o pleito deste ano, o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública ainda alfinetou os adversários, chamando-os de “pelegos e milicianos”. O comentário foi uma referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a Jair Bolsonaro (PL).

Moro afirmou que o giro pelo país começa no Nordeste. “Começo hoje a rodar o Brasil. Nesta semana, estarei na Paraíba. Conto com vocês nessa jornada que está só começando. Temos um país para salvar de uma triste polarização entre pelegos e milicianos. Vamos construir a nação moderna e inclusiva que queremos”, disse via Twitter.

Ainda em janeiro, Sergio Moro planeja viajar a Santa Catarina e, no início de fevereiro, deve retornar ao Nordeste para visitas ao Ceará, Piauí e Sergipe.

Terceira via

Sergio Moro se filiou ao Podemos em novembro de 2021 para se aventurar na política. Postulante ao Planalto, ele tem se colocado como uma alternativa aos dois principais adversários: Lula e Bolsonaro. Ao Correio, fontes afirmaram que o ex-juiz também não descarta concorrer ao Senado, caso não suba nas pesquisas para presidente.

Enquanto ministro de Bolsonaro, Moro cedeu às pautas pró-armas e pró-policiais, não avançou na agenda anticorrupção no legislativo e ainda colocou em xeque sua imparcialidade enquanto juiz, pois afirmava que jamais se filiaria ao governo. Ele saiu da pasta envolvido em uma série de polêmicas e troca de acusações com o presidente.

Agora, como pré-candidato, o ex-juiz tem afirmado a apoiadores que só vai seguir em projetos que se comprometam em priorizar o combate à corrupção e a defender bandeiras como a retomada da prisão após a condenação em segunda instância.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE