Internação

Obstrução intestinal de Bolsonaro foi causada por camarão mal mastigado, diz médico

Em entrevista coletiva, o presidente e o médico responsável pelo tratamento explicaram melhor a causa da obstrução: "Eu não almoço, eu engulo", disse Bolsonaro

Correio Braziliense
postado em 05/01/2022 17:19
 (crédito: TV Brasil/Reprodução)
(crédito: TV Brasil/Reprodução)

Nesta quarta-feira (5/1), o presidente Jair Bolsonaro (PL) explicou o que teria causado a obstrução intestinal: um camarão mal mastigado. O presidente estava internado no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo desde a madrugada da última segunda-feira (3) e recebeu alta na manhã de hoje. 

A informação sobre a causa da obstrução intestinal foi confirmada por Antônio Luiz Macedo, médico responsável pelo tratamento de Bolsonaro durante o episódio da facada em 2018, em coletiva de imprensa com o presidente.

"Eu não almoço, eu engulo. Tinha uma peixada, uns camarõezinhos também. Aí eu mastiguei o peixe e engoli o camarão. Foi isso que aconteceu", explicou Bolsonaro. 

Em seguida, Antônio Luiz Macedo explicou um pouco mais sobre a situação. "O camarão não foi mastigado, é o que ele está explicando. A gente pede para todos os clientes fazerem o que a gente faz: mastigar 15 vezes cada garfada”, afirmou.

Bolsonaro fez até brincadeiras sobre o assunto: “Pode ser 22 vezes?”, brincou o presidente falando sobre a quantidade necessária de mastigação por garfada em referência ao futuro número dele nas urnas nas eleições de 2022, sob o Partido Liberal (PL).

Sobre as recomendações médicas feitas por Macedo, Bolsonaro chegou a dizer que não consegue se controlar sobre o que não pode comer, mas que tentará seguir as indicações médicas. 

Segundo o médico, Bolsonaro pode ter outras obstruções no futuro. Neste caso, uma nova cirurgia não foi necessária porque o presidente teve boa resposta ao tratamento com sonda nasogástrica.

Bolsonaro recebeu alta do hospital na manhã desta quarta-feira. Esta foi a segunda internação do presidente com o quadro de obstrução intestinal desde a facada em Juiz de Fora, Minas Gerais, na campanha eleitoral de 2018. O presidente já passou por quatro cirurgias após o incidente

Segundo informações do médico, quando chegar a Brasília, Bolsonaro terá de seguir uma dieta especial durante uma semana e realizar caminhadas, sem esforço físico “intenso”. “Ele está curado e pronto para o trabalho”, informou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE