obstrução intestinal

"Estou morrendo", disse Bolsonaro ao médico antes de ser internado

O presidente ligou para o cirurgião chorando de dor e dizendo que "a coisa está ruim"

Pedro Grigori
postado em 05/01/2022 19:44
 (crédito: Reprodução / Facebook)
(crédito: Reprodução / Facebook)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) passou por maus momentos antes de ser internado no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, na última segunda-feira (3/01). Em entrevista ao jornal O Globo, o médico do chefe do Executivo, o cirurgião Antônio Luiz Macedo, revelou mais detalhes sobre o episódio.

Segundo o médico, Jair Bolsonaro o ligou chorando de dor. “(Ele) falou 'estou morrendo, Macedo. A coisa está ruim’. Mandei ele ir na hora para o (Hospital) Vila Nova Star”, disse o médico ao jornal carioca.

Ao chegar no hospital e encontrar o presidente, Macedo analisou a tomografia, os exames de sangue e tocou a barriga de Bolsonaro. “Quando apalpei, vi que o intestino não estava rasgando e estava mais molinho. Foi muito bom. Porque qualquer cirurgia que for feita nessa região dificilmente vai durar menos de 12 horas”, disse.

A obstrução intestinal do presidente foi causada por um camarão mal mastigado. "Eu não almoço, eu engulo. Tinha uma peixada, uns camarõezinhos também. Aí eu mastiguei o peixe e engoli o camarão. Foi isso que aconteceu", explicou Bolsonaro em coletiva de imprensa.

De acordo com Macedo, o presidente precisa fazer algumas mudanças na rotina para evitar novos episódios como o do começo do ano. “Tem que evitar alimentos como carne, castanha de caju e amendoim, que formam um bolo que passa com mais dificuldade pelo intestino. Deve também evitar subir em caminhões ou lugares altos. Se o impacto de uma queda atingir a região fragilizada, que é o lado esquerdo na altura do umbigo, pode romper o intestino”, disse ao jornal O Globo.

Macedo disse que aconselhou a Michelle Bolsonaro, esposa do presidente, a botar um cadeado na moto dele. “Não pode fazer força também por um tempo, a força pode fazer o abdome torcer”, disse.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE