Senado

Congresso deve votar vetos de Bolsonaro na próxima terça-feira (8/2)

Reunião de líderes definiu que nesta quinta-feira (3/2) não haverá sessão no Senado, mas organizou pautas a serem discutidas na semana que vem

Raphael Felice
postado em 03/02/2022 12:55 / atualizado em 03/02/2022 12:55
 (crédito: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados)
(crédito: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados)

Uma reunião de líderes, nesta quinta-feira (3/2), decidiu por não realizar sessão no dia de hoje e montar o cronograma de pautas no Senado Federal na próxima semana. Para abrir os trabalhos legislativos, as lideranças partidárias definiram que na terça-feira (8) deverá ser realizada uma sessão do Congresso para votar vetos do presidente Jair Bolsonaro.

Na pauta podem entrar: pobreza menstrual, que trata do veto do presidente da República ao custeio pelo SUS de absorventes para mulheres em situação de vulnerabilidade; Leo Assis Carvalho, que dispõe sobre medidas emergenciais de amparo aos agricultores familiares do Brasil para mitigar os impactos socioeconômicos da covid–19, alguns vetos do marco regulatório das ferrovias e também questões relativas ao Orçamento de 2022.

A reunião de líderes também tratou rapidamente sobre a questão da alta dos combustíveis, mas uma outra reunião específica sobre o tema deve ser realizada na semana que vem.

Há duas propostas de relatoria do senador Jean Paul Prates (RN), líder do PT no Senado. São elas: o Projeto de Lei (PL) 1472/2021, que cria o Fundo de Estabilização dos preços de combustíveis e institui imposto de exportação sobre o petróleo bruto, e o Projeto de Lei Complementar (PLP), que altera regras de cobrança do ICMS, para que alíquotas sejam fixadas anualmente, por unidade de medida (por litro de combustível, por exemplo e não mais sobre o valor da mercadoria), e tenham validade por 12 meses.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE