CONFLITO

"Se comportam como adolescentes", diz Bolsonaro sobre ministros do STF

Presidente Jair Bolsonaro atacou os ministros Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso e Edson Fachin. Presidente disse que magistrados trabalham para torná-lo inelegível

Luana Patriolino
postado em 16/02/2022 21:05
 (crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
(crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A trégua com o Judiciário durou pouco. O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a atacar o atual presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, o vice-presidente da Corte, Edson Fachin, e o ministro Alexandre de Moraes. O chefe do Executivo insinuou que os três estão trabalhando para tentar torná-lo inelegível neste ano.

Lamentavelmente, essas três pessoas [Barroso, Fachin e Moraes] não colaboram com o Brasil em absolutamente nada. Querem apenas uma narrativa para desgastar o governo. São pessoas que se comportam como adolescentes, têm um objetivo”, declarou.

“Agora, o que fica da ação desses três ministros do STF, me parece que eles têm um interesse, né? Primeiro, buscar uma maneira de me tornar inelegível, na base da canetada. A outra, é eleger o seu candidato, que é o Lula”, disse Bolsonaro.

As declarações foram dadas durante entrevista à Jovem Pan, nesta quarta-feira (16/2). Ao comentar a quebra de sigilo de seu ajudante de ordens Mauro César Cid no inquérito do STF, que investiga a atuação de milícias digitais, Bolsonaro afirmou que Alexandre de Moraes não encontrou “nada que possa comprometer o seu mandato”.

“É lamentável que [a investigação] esteja na mão dele, [que Moraes esteja] usando um subterfúgio para chegar a minha pessoa. Ele bate na tecla de gabinete de ódio o tempo todo. Eu desafio qualquer pessoa me apresentar uma matéria produzida pelo gabinete de ódio”, disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE