Eleições 2022

Aliados de Doria pedem que presidente do PSDB se posicione contra ‘golpe’

Para aliados do governador de SP, João Doria, presidente Bruno Araújo deve ser mais contundente contra "golpe" à pré-candidatura do gestor paulista

Correio Braziliense
postado em 27/03/2022 06:00
 (crédito: Governo do Estado de São Paulo/Divulgação)
(crédito: Governo do Estado de São Paulo/Divulgação)

Aliados do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), se mobilizaram contra o que chamam de tentativa de "golpe" na sua pré-candidatura e cobram do presidente nacional do partido, Bruno Araújo, um posicionamento contundente em defesa do resultado das prévias presidenciais do ano passado.

Assediado pelo PSD, que sinalizou que lançaria sua candidatura ao Palácio do Planalto, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB) — derrotado por Doria nas prévias —, vai deixar o cargo amanhã e deve anunciar sua permanência no partido.

O grupo que faz oposição a Doria é liderado pelo deputado Aécio Neves (PSDB-MG). Em entrevista, na semana passada, ao programa CB.Poder — parceria entre o Correio e a TV Brasília —, o parlamentar enfatizou: "Fiquei, nos últimos quatro meses, desde as prévias, aguardando que o governador Doria mostrasse uma capacidade mínima de aglutinar forças políticas ou da sociedade e que pudesse, também, mostrar alguma perspectiva de crescimento nas pesquisas (eleitorais). Absolutamente nada disso ocorreu".

Esse grupo acredita que pode reverter o resultado das prévias na convenção do partido, em junho. O "Dia do fico" no PSDB seria uma estratégia que prevê a possibilidade de um acordo com o MDB e o União Brasil para o lançamento de uma candidatura única ao Palácio do Planalto.

Aliados de Doria reclamam do silêncio do presidente tucano, que é coordenador da pré-campanha do governador. "Esperamos uma manifestação do Bruno (Araújo) para garantir que a democracia interna seja respeitada", disse Fernando Alfredo, presidente da sigla na capital paulista. "Eles não têm embasamento jurídico para contestar o resultado e apostam no desgaste do João. Qualquer tentativa de revogar as prévias seria um golpe", concluiu o dirigente. Procurado, Araújo não foi localizado.

O tesoureiro nacional do PSDB, Cesar Gontijo — aliado de Doria —, destacou que, "pelo estatuto, as prévias são irrevogáveis" e que "a convenção é meramente homologatória".

 


CONTINUE LENDO SOBRE