ELEIÇÕES

CNJ afasta juíza eleitoral que publicou mensagens de apoio a Bolsonaro

A decisão foi embasada em denúncia do PT, de 2019, contra os posicionamentos da magistrada, nas redes sociais, favoráveis ao presidente Jair Bolsonaro

Cristiane Noberto
postado em 13/05/2022 06:00
 (crédito: Gil Ferreira/Agência CNJ)
(crédito: Gil Ferreira/Agência CNJ)

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu por unanimidade afastar a juíza Regiane Tonet dos Santos, do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), de suas atribuições na Corte. A decisão foi embasada em denúncia do PT, de 2019, contra os posicionamentos da magistrada, nas redes sociais, favoráveis ao presidente Jair Bolsonaro.

Segundo o CNJ, o documento apresentado pelo partido mostra "diversas postagens da juíza em seu perfil nas redes sociais que trazem críticas a políticos, autoridades e membros do Supremo Tribunal Federal (STF)".

Em um dos posts, Tonet se referiu ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na época da condenação dele pelo caso do triplex do Guarujá: "Muito mais do que a punição de um mero corrupto, essa condenação materializa os conhecidos jargões de que ninguém está acima da lei e que a Justiça atinge a todos".

A relatora e corregedora nacional de Justiça, ministra Maria Thereza de Assis Moura, apontou que as condutas da juíza afrontam a Constituição Federal de 1988 e o Código de Ética da Magistratura Nacional.

Ela ressaltou que é esperado um comportamento exemplar de cidadania de membros do Poder Judiciário e "que a sua atuação transmita confiança para a sociedade".

CONTINUE LENDO SOBRE