Provável caso de febre amarela faz Saúde intensificar ações contra doença

Secretaria vai fazer ações de prevenção no Sudoeste, na Asa Sul e no Jardim Botânico a partir desta segunda-feira (27/11). O órgão também vai inspecionar os sete prédios da quadra do Sudoeste, onde o psicólogo mora com a família

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/11/2017 10:22 / atualizado em 26/11/2017 10:59

Arthur Menescal/Esp.CB/D.A Press
 
A provável confirmação de febre amarela em um paciente de 43 anos que continua internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Santa Lúcia, na Asa Sul, fez a Secretaria de Saúde intensificar as ações de prevenção contra a doença no Sudoeste, na Asa Sul e no Jardim Botânico. Esses são os três locais por onde o psicólogo teria passado nos últimos dias antes de ser internado. A pasta informou que na segunda-feira (27/11) haverá um segundo ciclo de aplicação de inseticida por fumacê na região no Sudoeste. Servidores também vão inspecionar os sete prédios na quadra onde o psicólogo mora com a família para identificar e eliminar criadouros do mosquito. 
 
 
O órgão promete, ainda, aplicar inseticida com uma máquina específica operada por homem. “O UBV também será usado em três ciclos no Setor Hospitalar e Jardim Botânico. Haverá ação na terça-feira (28/11) e na quinta-feira (30/11), ambas após as 18h", informou. No sábado (25/11) servidores da pasta imunizaram 63 pessoas contra febre amarela na quadra onde o paciente mora com a família. O órgão montou um posto de vacinação no playground de um dos prédios e também levou orientações às pessoas. Além disso, realizou ações de vigilância ambiental nas três áreas por onde o psicólogo teria circulado.

Estado de saúde do paciente

O último boletim repassado pela pasta, às 15h de sábado (25/11), confirmava que o psicólogo estava em estado gravíssimo com provável morte cerebral. Uma nova atualização deve ser feita neste domingo (26/11), após às 15h, segundo a Secretaria de Saúde. Um amigo do homem, que preferiu não ser identificado, contou que ele estava trocando um apartamento por um terreno com casa no Altiplano, próximo à Fazenda Taboquinha, a cerca de 2 quilômetros do Lago Sul. A região faz parte da Área de Proteção Ambiental (APA) de São Bartolomeu. “Ele não viajou nem foi para outro lugar, ou seja, pode estar tendo um surto do lado da gente”, alertou.
 
No entanto, em entrevista ao Correio na manhã de sábado (25/11), o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, disse que não há motivo para pânico, uma vez que Brasília, segundo ele, tem a melhor cobertura vacinal do país. “Não há motivo para pânico e os brasilienses podem ficar tranquilos, porque temos cobertura vacinal em todo território, inclusive no Entorno do Distrito Federal”, explicou.
 
Ele reforçou que quem já se imunizou contra a doença não precisa repetir a dose da vacina. As pessoas que ainda não se preveniram podem procurar um dos postos de saúde da rede pública. Segundo o secretário, as unidades foram reabastecidas com as doses. 

Entenda o caso

O psicólogo deu entrada na emergência do hospital em 18 de novembro com dor nas costas, mas foi liberado após medicação. No dia seguinte, porém, voltou ao hospital. Confuso e com fala incoerente, recebeu oxigênio e acabou sendo internado. 
 
Equipes médicas já fizeram dois exames epidemiológicos. O teste mais específico, que poderia confirmar o diagnóstico de febre amarela, foi inconclusivo. Por essa razão, o exame será refeito. O primeiro, que procurou a presença do vírus no sangue, também apresentou resultado divergente. 
 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.