Publicidade

Estado de Minas

Janeiro termina debaixo de chuva, mas média do mês não será atingida

Apesar das pancadas de chuva previstas para esta quarta-feira, o Inmet reconhece que dificilmente o mês terminará com volume de chuvas dentro da média. Tempo no DF será abafado e úmido


postado em 31/01/2018 08:11 / atualizado em 31/01/2018 09:18

DF encerra janeiro debaixo de céu nublado e trovoadas isoladas, afirma Inmet(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
DF encerra janeiro debaixo de céu nublado e trovoadas isoladas, afirma Inmet (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
 
O último dia de janeiro terá um tempo típico da estação chuvosa no Distrito Federal: céu nublado, pancadas de chuva e trovoadas. Além disso, segundo a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a quarta-feira (31/1) será abafada, com termômetros marcando até 30°C.


Apesar de janeiro fechar com um dia nublado e chuvoso, o mês deve terminar com o acumulado de chuvas abaixo da média. Até as 10h de terça-feira (30/1), o Inmet havia registrado índice de 150,2 milímetros, equivalente a apenas 60,71% do esperado, que é de 247,4mm. Ou seja, apenas uma tempestade sobre o DF conseguiria colocar os números dentro da expectativa em apenas um dia.

O volume abaixo do esperado, no entanto, não representa nenhuma anormalidade. É o que afirma o meteorologista Mamedes Luiz Melo, do Inmet. "É comum acontecer períodos sem chuvas dentro da estação", explica ele, referindo-se aos oito dias em que o DF ficou na seca em plena estação chuvosa.

Além disso, Melo pondera que a estação do Inmet no Sudoeste não coleta a água que cai em outras regiões. "Quando chove no Guará, por exemplo, nem sempre chove aqui", completa.

O acumulado de 2017 no DF registrou pluviosidade abaixo da média anual. Dos 1.504,6mm esperados para todo o ano, choveu 1.302,3mm. Houve melhora, porém, em dezembro, mês em que o Inmet registrou acúmulo acima das expectativas.

Chuvas abaixo da média, mas reservatórios acima do esperado


O baixo volume de chuvas não parece ter afetado a escalada dos níveis dos reservatórios que abastecem o Distrito Federal. Na última medição, a barragem do Descoberto atingiu 42,5%, quase o triplo do valor de referência para janeiro segundo a Adasa. O lago Santa Maria, em ritmo mais lento, chegou a 35,2%, 7,2 pontos percentuais acima das expectativas do órgão.

Veja aqui as cidades afetadas pelo racionamento neste último dia de janeiro.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade