Publicidade

Correio Braziliense

Cerca de 100 pessoas comparecem a enterro de mulher morta pelo ex

O enterro ocorreu no cemitério do Gama. A mulher foi assassinada com sete facadas em Santa Maria, na segunda-feira (3/9). O principal suspeito é o ex-companheiro


postado em 05/09/2018 16:54 / atualizado em 05/09/2018 16:54

O enterro ocorreu no cemitério do Gama, na tarde desta quarta-feira (5/9)(foto: Bruna Lima/Esp. DA/CB)
O enterro ocorreu no cemitério do Gama, na tarde desta quarta-feira (5/9) (foto: Bruna Lima/Esp. DA/CB)
“Agora que ela se foi, é a Justiça que vem no lugar”, esse foi o único desabafo que Raimunda Souza conseguiu fazer enquanto enterrava a irmã, Simone de Souza Lima, 25 anos. O ex-companheiro é suspeito de matá-la com sete facadas. Josias Sacramento dos Santos, 40 anos, está foragidoO feminicídio aconteceu no quarto da quitinete do acusado, na Quadra 517 de Santa Maria, por volta das 6h desta segunda-feira (3/9). 

Aproximadamente 100 pessoas, entre vizinhos, amigos e familiares, compareceram ao Cemitério do Gama para se despedirem de Simone. Os mais próximos rodearam o caixão da jovem e fizeram uma última oração. A firmeza no andar do Seu Zé, pai da vítima, constrastava com os olhos tristes de quem tentava entender a partida da filha. “Coração tá apertado, nem consigo pensar nada”, sussurrou. 

Simone de Sousa Lima tinha 25 anos e estaria grávida de 2 meses(foto: Arquivo pessoal/Divulgação)
Simone de Sousa Lima tinha 25 anos e estaria grávida de 2 meses (foto: Arquivo pessoal/Divulgação)
Um misto de comoção, revolta e medo tomaram o ambiente. “Todos estão com desconfiados porque ele (Josias) ainda está solto e veio gente dele aqui, que a gente não entende a intenção”, justificou uma amiga da vítima, que não quis se identificar. 

Vizinha da família, Otaviana Santos, 71 anos, lamentou a morte trágica da jovem. “Ela era uma pessoa maravilhosa de uma família preciosa. Desde pequenininha a gente a conhecia. Estamos chocados com a forma que uma mãe de família como ela foi embora. É uma coisa que a gente não aceita. Ela se vai e leva uma outra vida na barriga para piorar.” Na cena do crime foi encontrado um teste de gravidez positivo, o que pode ter sido a motivação para o feminicídio, suspeita a Polícia Civil, que investiga o caso. 

No momento do enterro, rosas foram jogadas sob o caixão enquanto o coro entoava: “O mundo pode até fazer você chorar. Mas Deus te quer sorrindo”. Uma amiga foi quem fez o último discurso, trazendo uma mensagem diretamente para Simone. “Eu espero que Deus te ampare aonde você estiver. Fique tranquila que vamos cuidar da sua mãe e dos seus bebês. Obrigada, mulher de ouro”. Simone tinha um filho de 3 anos com Josias e outra menina de 9 anos, de um relacionamento anterior. 

Contra o agressor, já havia dois registros pela Lei Maria da Penha, o primeiro foi feito por uma irmã de Simone, que foi agredida por Josias ao impedi-lo de bater na mãe dela. O segundo, da própria vítima. A 33ª Delegacia de Polícia (Santa Maria), responsável pelo caso, realiza buscas contra o suspeito, que já tem um mandado de prisão expedido pela Justiça.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade