Publicidade

Correio Braziliense

Casal é condenado por matar a tiros mãe e filho na Rodoviária

Henrique Santos pegou 72 anos de prisão e, a mulher dele, Geovana dos Santos, 20. O crime ocorreu em 4 de julho de 2018, na área central de Brasília


postado em 17/07/2019 16:20 / atualizado em 17/07/2019 16:20

O crime ocorreu por volta das 15h de 4 de julho de 2018, na Rodoviária do Entorno(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
O crime ocorreu por volta das 15h de 4 de julho de 2018, na Rodoviária do Entorno (foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
O caso do tiroteio na Rodoviária do Entorno, ao lado do terminal do Plano Piloto, que culminou no duplo homicídio de mãe e filho, além da deixar a filha da vítima ferida, chegou ao fim. O crime ocorrido em 4 de julho de 2018 teve o desfecho nessa terça-feira (16/7), com a condenação do casal acusado do assassinato. O júri decidiu que Henrique Monteiro Gonçalves dos Santos cumprirá 72 anos de prisão e a mulher dele, Geovana Gomes dos Santos, ficará 20 anos detida. 

Segundo as investigações, o crime foi motivado pela disputa de ponto de venda de mercadorias na Rodoviária. As vítimas Maria Célia Rodrigues dos Santos, 38 anos, e o filho dela, Welington Rodrigues Santos da Silva, 22, trabalhavam como ambulantes no local. Uma semana antes do crime, a mulher registrou um boletim de ocorrência na Polícia Militar, afirmando ter sido ameaçada de morte por Henrique, por conta da área onde realizava o comércio de doces e bebidas. 

Em decorrência do registro do boletim e de uma briga anterior entre as vítimas e o atirador, ficou confirmado que os assassinatos foram premeditados. Segundo consta na denúncia do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) ao Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), Henrique foi incentivado por Geovana a se vingar da família. A mulher teria fornecido a arma de fogo para o companheiro praticar o crime

Henrique realizou diversos disparos contra a família por volta das 15h, em meio a frequentadores da Rodoviária. Maria Célia e Welington morreram na hora. A filha e irmã das vítimas, Kerolyn Ketlen Moreira, 19, também foi atingida. Contudo, resistiu aos ferimentos e foi encaminhada ao Hospital de Base. Ela sobreviveu. Welington deixou a mulher grávida de oito meses, que dependia financeiramente do homem. 

Os jurados entenderam que Henrique e Geovana cometeram os crimes por motivo torpe e que o modo de ação do homem dificultou a defesa das vítimas e colocou em perigo todas as pessoas que estavam na Rodoviária do Entorno no momento dos assassinatos. Eles foram considerados culpados por dois homicídios triplamente qualificados e mais uma tentativa de homicídio. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade