Publicidade

Correio Braziliense

Brasilienses fazem ato em defesa da Amazônia na Esplanada dos Ministérios

Centenas de pessoas saíram da rodoviária do Plano Piloto em direção ao Ministério do Meio Ambiente. Trânsito foi interrompido no começo da noite


postado em 23/08/2019 19:05 / atualizado em 23/08/2019 19:06

Ver galeria . 15 Fotos Protestos na EsplanadaReprodução/Redes sociais - Jorge Vasconcellos/DA. Press
Protestos na Esplanada (foto: Reprodução/Redes sociais - Jorge Vasconcellos/DA. Press )
Um protesto em defesa da Amazônia reuniu centenas de pessoas, na tarde desta sexta-feira (23/8), na rodoviária do Plano Piloto. Os manifestantes, que também dirigiram críticas ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, se reuniram por volta das 17h30.



Gritando palavras de ordem e carregando baixas com dizeres como "Bolsonaro sai, Amazônia fica", o grupo dexiou a rodoviária e iniciou caminhada em direção ao prédio do Ministério do Meio Ambiente. No prédio que abriga a pasta, na Esplanada dos Ministérios, foram projetadas imagens de queimadas.
 
O grupo reuniu pessoas de diferentes faixas etárias, mas a grande maioria era de estudantes. Por volta das 18h30, a Polícia Militar bloqueou o acesso de carros à Esplanada, causando congestionamento na região central da cidade.
 

Aprofundamento da crise

A manifestação ocorre após um aprofundamento da crise das queimadas na Amazônia. Desde a veiculação de uma imagem da Nasa apontando grandes massas de fumaça saindo da Amazônia e o posterior questionamento de Bolsonaro sobre os responsáveis pelas queimadas, o problema ganhou contornos internacionais quando o presidente francês, Emmanuel Macron, passou a criticar publicamente Bolsonaro pela forma que o governo brasileiro lida com a preservação da área de floresta.
 
Economicamente, questionamentos de vários lideres europeus passaram a ameaçar o acordo Mercosul-UE. Ainda nesta sexta-feira (23/8), é esperado um pronunciamento oficial de Bolsonaro sobre o tema

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade