Publicidade

Correio Braziliense

DF registra pelo menos sete homicídios de sexta até segunda-feira

Em Samambaia e na Estrutural, dois homens foram baleados. Entre os assassinatos, está a chacina em acampamento cigano


postado em 03/02/2020 16:25 / atualizado em 03/02/2020 16:33

(foto: Cícero Lopes/CB/D.A Press)
(foto: Cícero Lopes/CB/D.A Press)
O fim de semana no Distrito Federal foi marcado pela violência. Ao menos sete pessoas foram vítimas de homicídio, de sexta-feira (31/1) até a madrugada desta segunda-feira (3/1). Em dois casos, na Cidade Estrutural e em Samambaia, as vítimas foram baleadas. Os demais assassinatos foram registrados na Fercal e em Sobradinho
 
Na Estrutural, pessoas se assustaram ao presenciar um tiroreio, durante um evento na rua do Conjunto 4 da Quadra 1 do Setor Leste. A festa era animada por alguns carros com som automotivo, quando, por volta das 1h, ocorreu uma discussão entre os presentes. Em meio ao bate boca, uma pessoa disparou pelo menos quatro vezes contra um homem, que morreu no local. A situação causou tumulto generalizado e as pessoas correram. A vítima não foi identificada. O caso é investigado pela 8ª Delegacia de Polícia (SIA).
 
A 32ª Delegacia de Polícia (Samambaia Sul) apura uma possível execução, que ocorreu na QR 516 de Samambaia Sul. Era por volta das 8h de sábado (1º/2), quando dois homens encapuzados passaram em um Fiat Argus branco. Eles avisatam a vítima, um homem de 30 anos, e atiraram. Em seguida, fugiram. Câmeras de segurança da área filmaram o momento em que os suspeitos chegaram ao local. Até a última atualização desta reportagem, ninguém tinha sido preso ou identificado. 
 

Outros homicídios

Na madrugada de domingo (2/2), o pedreiro Andreasmo Rapozo Pires, 35 anos, foi morto a marretadas pelo cunhado e sobrinho, de 28 e 18 anos, respectivamente. O trio se encontrou pela manhã para ir a um bar, mas acabaram se envolvendo em uma discussão. Então, os acusados decidiram assassinar a vítima e, depois, colocar o cadáver no porta-malas de um carro. Os jovens acabaram presos e confessaram o crime. Eles responderão por homicídio triplamente qualificado, por motivo fútil, impossibilidade de defesa da vítima e meio cruel (marretadas), além de ocultação de cadáver. 
 
Cerca de 200 pessoas moravam no local (foto: Ed Alves/CB/D.A Press - 2016)
Cerca de 200 pessoas moravam no local (foto: Ed Alves/CB/D.A Press - 2016)
 
 
Uma chacina marcou o Condomínio Serra Verde, na região conhecida como Rota do Cavalo, em Sobradinho 1, na tarde de sábado (1º). Quatro pessoas morreram e duas ficaram feridas durante uma briga relativa à negociação de veículos de origem ilícita, em um acampamento de ciganos. Três suspeitos foram identificados e presos pela 13ª Delegacia de Polícia (Sobradinho 1). Em audiência de custódia, na manhã desta segunda-feira (3/2), um ganhou a liberdade e dois continuaram detidos. Após o crime, os cerca de 200 moradores abandonaram o local.
 

Secretaria 

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do DF (SSP/DF) frisou que todos os homicídios que ocorreram no fim de semana estão em apuração pela Polícia Civil. Ainda, esclareceu que monitora de "forma prioritária os principais crimes contra e vida e estuda a dinâmica, o dia, o local e a hora em que cada crime ocorre com maior frequência. Esses dados orientam o trabalho das forças de segurança". 
 
"Com isso, a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) destaca seu efetivo em áreas vulneráveis apontadas pelos estudos como medida de prevenção. A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), por sua vez, trabalha de forma técnica na identificação de possíveis grupos especializados. O esforço conjunto das forças de segurança para reduzir a criminalidade no Distrito Federal superou as metas estabelecidas para 2019. Prova disso são os elevados índices de segurança alcançados no Distrito Federal, quando foram obtidas as significativas marcas de menor taxa de homicídios por 100 mil habitantes dos últimos 35 anos, e o menor número de vítimas dos últimos 25 anos", acrescentou a pasta.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade