Cidades

Celular de advogado que desapareceu no Lago Paranoá passará por perícia

O advogado Carlos Eduardo Marano Rocha desapareceu durante uma festa privada, em duas lanchas, no Lago Paranoá, no último sábado (1º/8). Nesta terça-feira (4), os bombeiros prosseguem com as buscas pela vítima

Sarah Peres, Samara Schwingel
postado em 04/08/2020 08:41
Os militares realizam buscas pelo quarto dia seguido ao desaparecimento do  advogadoO Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBMDF) prossegue, pelo quarto dia, as buscas pelo advogado Carlos Eduardo Marano Rocha, de 41 anos, desaparecido desde o último sábado (1;/8). A vítima estava em uma festa, em duas embarcações, no Lago Paranoá, no Setor de Clubes Sul, quando sumiu. O celular e a carteira do homem foram encontrados por familiares em uma das lanchas. Os objetos passarão por perícia no Instituto de Criminalística (IC), da Polícia Civil (PCDF).

O advogado participou de um evento privado com mais 12 pessoas, próximo ao Clube Cota Mil, no Setor de Clubes Sul, quando teria caído na água. O Corpo de Bombeiros foi acionado pelos demais presentes e iniciou as buscas por Carlos Eduardo às 18h53 de sábado, mas, pela falta de luminosidade, precisaram suspender a procura pela noite.

[VIDEO1]Os militares estão, na manhã desta terça-feira (4), no Lago Paranoá. Por não terem um ponto preciso de onde o advogado teria sumido na água, o campo de busca é extenso. Pela manhã, há dois jet skis, uma lancha e um barco da corporação auxiliando a operação.

Investigação

Na segunda-feira (3), familiares de Carlos Eduardo entregaram o celular e a carteira do advogado à Polícia Civil. Os aparelhos serão periciados e poderão auxiliar com informações tanto sobre o que ocorreu no desaparecimento, quanto ao ponto em que o homem teria caído na água.

Até a mais recente atualização desta matéria, seis pessoas tinham prestado depoimento sobre o caso para agentes da 10; Delegacia de Polícia (Lago Sul), unidade responsável pela investigação. Todos os presentes afirmaram não terem visto o instante em que Carlos Eduardo teria caído ou pulado no Lago Paranoá.

Vídeos mostram o advogado aproveitando o evento, conversando e bebendo com os demais presentes. O grupo percebeu o desaparecimento por volta das 18h30, conforme apurado pelo Correio.
[FOTO1650053]

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação