Publicidade

Correio Braziliense

Mulheres contra Bolsonaro protestam no Brasil e em vários países

Manifestação de mulheres contra a candidatura do capitão reformado acontece no Brasil e em países como Portugal, Alemanha e Suíça


postado em 29/09/2018 12:39 / atualizado em 29/09/2018 17:05

Ver galeria . 17 Fotos Lisboa Júlia Mendes/ Divulgação
Lisboa (foto: Júlia Mendes/ Divulgação )

 

Espalhados por todo o mundo, milhares de pessoas vão às ruas contra o candidato à Presidência da República do Brasil Jair Bolsonaro (PSL), neste sábado (29/9). Os primeiros registros de protestos aconteceram em Lisboa, Berlim, Cidade do Cabo. No Brasil, Rio Grande do Norte, Paraná, Minas Gerais e Goiás começaram a se movimentar. As outras capitais do país foram às ruas por volta das 15h. 

 

O movimento planeja protestos em cerca de 100 cidades do Brasil, Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiânia, Porto Alegre, Vitória, Florianópolis, Belo Horizonte, Salvador, Natal, João Pessoa, Recife, Fortaleza, Aracaju, Palmas, Campo Grande, Manaus, Belém e Cuiabá. Além daqui, vários países também participam do movimento, como Argentina, Estados Unidos, Alemanha, Portugal, Austrália, Canadá e Inglaterra, entre outros. No Distrito Federal, a manifestação "Mulheres contra Bolsonaro" toma o Eixo Monumental, com um cortejo que leva milhares até a Torre de TV. 

 

Em Genebra, uma das principais cidades da Suíça, as pessoas protestaram na frente à sede da Organização das Nações Unidas (ONU) na Europa. Elas levavam cartazes com palavras contrárias ao candidato e pediam o fim do "fascismo". Em Paris, na França, onde a candidata de extrema-direita Marine Le Pen, da Frente Nacional, tem ganhado força nos últimos anos, pelo menos 250 pessoas se organizaram no centro da cidade para protestar contra o candidato brasileiro.

Imagens publicadas nas redes sociais com a hashtag #Elenão mostram também manifestações em Milão, na Itália. Em Barcelona, na Espanha também houve protestos.

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, a criadora do grupo afirmou que "só acendeu um fósforo no barril de pólvora" com a criação do grupo. Nesta sexta-feira, 28, a cantora Madonna postou uma mensagem contra Bolsonaro e aumentou a visibilidade do movimento nas redes sociais.
 

 

 

Na capital portuguesa, com cartazes e placas, e com gritos como "sou feminista, não abro mão de derrotar fascista na eleição", mulheres se reuniram para protestar contra o candidato ao Planalto. Ao som da paródia "Bella Cio", música da Banda Bassotti, hino da resistência italiana contra o fascimo de Benito Mussolini e popularizada pela série La Casa de Papel, elas deram um recado ao candidato: "Ô Bolsonaro, fica ligado, olha na rua e você vai dar tchau tchau tchau. Não tem mais jeito. Tá organizado. O feminismo é internacional (sic)", cantaram. No meio da tarde, outro grito de guerra: "Se cuida, se cuida, se cuida seu machista. América Latina vai ser toda feminista". 

 

Consideradas voto decisivo nessas eleições, mulheres manifestam contra as declarações polêmicas e controversas declaradas por Bolsonaro, consideradas machistas. Nas redes sociais, a hashtag #ELENÃO para popularizar o movimento já chamou a atenção até de artistas e celebridades internacionais. No Facebook, o grupo Mulheres Unidas Contra Bolsonaro já tem mais de 3,8 milhões de membros. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Diversos manifestantes também ocuparam a Times Square em Nova York. Liderados pelas mulheres, os protestantes entoaram canticos contra Bolsonaro ao som de tambores. As brasileiras ainda explicaram, para quem não sabia do que se tratava, o porquê da aglomeração. Os manifestantes ainda lembraram a morte de Marielle Franco. Confira: 

 

 

 

 

 

 

 

* Com informações da Agência Estado 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade