Publicidade

Correio Braziliense

Saiba quem são os apoiadores de Bolsonaro alvos da operação das fake news

A Polícia Federal cumpriu 29 mandados de busca e apreensão em cinco estados e no Distrito Federal na manhã desta quarta


postado em 27/05/2020 16:25 / atualizado em 27/05/2020 16:56

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press Credito Arquivo p?ssoal/ Twitter Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press Credito Arquivo p?ssoal/ Twitter Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
A Polícia Federal cumpriu na manhã desta quarta-feira (27/5) 29 mandados de busca e apreensão em cinco estados e no Distrito Federal, no âmbito do inquérito que apura fake news e ataques contra ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Os alvos foram 13 aliados e apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). 

De acordo com o ministro Alexandre de Moraes, há evidências de associação criminosa.

Saiba quem foram os alvos 

Sara Winter 

Declaradamente bolsonarista, a youtuber Sara Winter teve a sua casa revistada pela Polícia Federal às 6h e teve o celular e o notebook apreendidos. 

Sara é líder do movimento “300 do Brasil”, formado por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, e um dos principais alvos da operação desta manhã. 

O grupo tem defendido táticas de guerrilha para “tomar o poder para o povo”. Na Esplanada dos Ministérios, o grupo tem mantido um acampamento que foi denunciado pelo Ministério Público do Distrito Federal por ameaçarem a segurança por portarem armas. 

Sara é filiada ao Democratas e foi candidata a deputada federal pelo Rio de Janeiro nas últimas eleições, mas não conseguiu ser eleita.  

Militante contra o feminismo, Sara já integrou o Femen, grupo feminista ucraniano, mas após 2013 passou a defender pautas contra o aborto e questões ligadas a gênero. Em 2019, foi coordenadora de políticas à maternidade no Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, indicada pela ministra Damares Alves. 

Nas redes sociais, Sara costuma posar com armas e defender o armamento da população. Após a operação, Sara usou o Twitter para chamar Alexandre de Moraes de “covarde”

Luciano Hang 

Empresário e dono da loja de departamento Havan, Luciano Hang é apoiador declarado de Bolsonaro. Há cerca de um mês, o catarinense esteve em Brasília para reunião com o presidente que o recebeu com um abraço, mesmo com as normas de distanciamento social. 

Hang foi condenado esta semana a pagar R$ 20,9 mil de indenização ao reitor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) após tweet difamatório, contendo fake news. 

O empresário é um dos cinco apontados pelo STF como suspeitos de atuarem no financiamento de esquema de disseminação de ataques e informações falsas contra os integrantes da Corte. 

Roberto Jefferson

O ex-deputado federal Roberto Jefferson é presidente nacional do PTB e foi o responsável pelas denúncia que levaram à descoberta do Mensalão em 2005. Jefferson foi condenado por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro e teve a pena atenuada em um terço pela colaboração com a investigação do caso. O político teve o mandato cassado em 2005 pela Câmara dos Deputados. 

Nas redes sociais, o presidente do PTB tem criticado o STF e pousado com armas. Após a operação, Jefferson comparou a Corte ao nazismo.  

Allan dos Santos 

O blogueiro comando o site Terça Livre, que se define como quem tem  “o amor pela Verdade e a fé de que somente Ela nos libertará”. 

Allan dos Santos é apoiador de Bolsonaro e um post com notícia falsa publicada pelo site dele, chegou a ser compartilhada pelo presidente. 

O blogueiro é acusado de integrar o Gabinete do òdio e chegou a ser convocado pela CPI das Fake News. 

Edgard Corona

O empresário de São Paulo é dono da academia Smart Fit e também apoiador declarado de Bolsonaro. 
 
Em fevereiro, a coluna de Mônica Bergano, da Folha de S. Paulo, revelou mensagens trocadas por Whastapp em que Corona defendia o impulsionamento de vídeos que atacassem o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ). 

Winston Lima

Ex-militar, Winston Lima é organizador de atos pró-Bolsonaro  e  coordenador do Bloco Movimento Brasil. Na operação, ele teve computadores e ceulares apreendidos.
 
Em suas redes sociais, o ex-militar se define como “Brasileiro que ama e luta pelo Brasil e pela família acima de TUDO!”. 

Bernardo Kuster

Youtuber do Paraná, Bernardo Kuster  é diretor do site de Olavo de Carvalho, considerado guru de Bolsonaro. 
 
Kuster já fez ataques nas redes sociais a integrantes do STF. 
 
Ainda foram alvo da operção, o humorista Reynaldo Bianchi, o ativista Eduardo Fabris Portella, Paulo Gonçalves Bezerra, Edson Pires Salomão, Douglas Garcia, Enzo Leonardo Suzi Momenti, Marcos Dominguez Bellizia, Otavio Oscar Fakhoury, Rafael Moreno, Rodrigo Barbosa Ribeiro e Marcelo Stachin. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade