Politica

Hospital frequentado por Queiroz em Atibaia desmente fala de Bolsonaro

Segundo o presidente, o ex-assessor estava na cidade para tratar um câncer em uma unidade próxima à residência do advogado. Em nota, o hospital disse que ele esteve no local por outros motivos

Philipe Santos
postado em 19/06/2020 12:25
Hospital Novo AtibaiaO Hospital Novo Atibaia, que era frequentado por Fabrício Queiroz, negou que o ex-assessor de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) estivesse fazendo um tratamento de câncer no local. O combate à doença foi o motivo apresentado, nessa quinta-feira (18/6), pelo presidente Jair Bolsonaro para o policial militar estar na cidade no interior de São Paulo.

Segundo o hospital, Queiroz esteve no local por três vezes esse ano. Em janeiro e em abril, ele foi ao local para consultas de especialidades diferentes da do câncer e, em maio, para exames laboratoriais, diz, em nota (veja abaixo), o Hospital Novo Atibaia, que fica a cerca de 3,5 km do local onde o ex-assessor foi preso.,

Durante a live dessa quinta-feira, Bolsonaro comentou a prisão de Queiroz, chamou de ;espetaculosa" e tentou justificar a presença do militar aposentado em Atibaia. ;Parecia que estavam prendendo o maior bandido da terra. Ele não estava foragido e não tinha nenhum mandado de prisão contra ele. Por que estava naquela região de São Paulo? Porque fica perto do hospital que ele faz tratamento de câncer", afirmou.

Outro hospital

Um outro hospital frequentado por Queiroz, em São Paulo, é o israelita Albert Einstein. No ano passado, o ex-motorista pagou em dinheiro o valor de R$ 64,58 mil por uma cirurgia na unidade. Queiroz ficou internado no local, que fica a cerca de 80 km de Atibaia, entre 30 de dezembro de 2018 e 8 de janeiro de 2019.

A passagem dele pelo local ficou marcada por um vídeo gravado por uma filha de Queiroz, em que o ex-assessor dança no hospital enquanto toma soro viralizou nas redes sociais. Na gravação, ele aparece dançando, em meio a gargalhadas. Na ocasião, ele faltou duas vezes a depoimentos marcados no Ministério Público alegando motivos de saúde.

A prisão de Queiroz

O policial militar aposentado Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), foi preso por volta das 6h de ontem em Atibaia, interior de São Paulo, e passou a noite no presídio Pedrolino Werling de Oliveira, em Bangu, no Rio de Janeiro, onde vai cumprir isolamento social por 14 dias devido à covid-19.

Ele foi pego de surpresa no sítio de Frederick Wassef, advogado da família Bolsonaro, em ação conjunta do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e da Polícia Civil de São Paulo ; batizada de Operação Anjo, apelido de Wassef, considerado o ;protetor; do clã.

Veja a nota do hospital

"O Hospital Novo Atibaia esclarece que Fabrício Queiroz, preso na manhã de ontem em Atibaia, não estava em tratamento de saúde contínuo nesta instituição como consequência de uma doença progressiva.
Em janeiro e abril deste ano, o mesmo esteve no Hospital Novo Atibaia em consultas de especialidades diferentes e, em maio, realizou exames laboratoriais."

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação