Vacinação contra covid-19

Governo anuncia antecipação de 2 milhões de doses do Covax Facility para maio

Doses só seriam entregues em junho, mas, segundo o Ministério da Saúde, foram antecipadas. Com isso, o país deve receber do consórcio internacional um total de 4 milhões de imunizantes contra a covid-19 já no próximo mês

Maria Eduarda Cardim
postado em 28/04/2021 12:35
 (crédito: AFP / Tina SMOLE)
(crédito: AFP / Tina SMOLE)

Ainda com um ritmo considerado lento de vacinação contra a covid-19, o Ministério da Saúde corre atrás de mais vacinas para tentar dar celeridade à imunização dos brasileiros. Nesta quarta-feira (28/4), a pasta anunciou a antecipação do recebimento de 2 milhões de doses de vacinas do consórcio internacional Covax Facility de junho para maio. Com a entrega dessas unidades no próximo mês, o país receberá 4 milhões de imunizantes do Covax em maio.

A informação foi anunciada pelo secretário-executivo da Saúde, Rodrigo Cruz, após a 3ª Reunião do Comitê de Coordenação Nacional para Enfrentamento da Pandemia da Covid-19.

“Em maio, a gente tinha uma previsão de 2 milhões de doses (do consórcio Covax Facility), mas, com um trabalho conjunto do Ministério (da Saúde) com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), houve uma antecipação de 2 milhões de doses de junho para maio, perfazendo um total de 4 milhões para maio”, disse o secretário.

Apesar de informar a antecipação das doses, Rodrigo não deu detalhes de quando elas chegarão, de fato, ao país.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, ressaltou que junto da campanha de vacinação é necessário reforçar as recomendações das medidas não farmacológicas para minimizar os efeitos da pandemia. “As medidas não farmacológicas associadas a uma ampla campanha de vacinação são as duas armas que temos para pôr fim a essa pandemia”, disse.

Testagem

Queiroga reiterou o uso de máscaras e o distanciamento entre as pessoas. Além disso, indicou que o Ministério da Saúde irá lançar, em breve, um programa de testagem da população.

"Lançaremos um programa de testagem da nossa população, usando testes com antígeno que são mais rápidos, para assim conseguir identificar aqueles casos positivos e os contactantes para que possamos adotar uma política melhor de quarentena para esses indivíduos afetados pela covid-19. E assim reduzir a transmissão dessa doença”, afirmou o ministro.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE