Campanha

Coletivo Não é Não lança campanha em prol de família de vítima de feminicídio

Com a proximidade do carnaval, tatuagens temporárias serão comercializadas e o lucro da venda será doado à família de Julieta Hernandez, a palhaça venezuelana Miss Jujuba, que foi vítima de feminicídio no Brasil

Coletivo Não é Não lança campanha beneficente em prol de família de vítima de feminicídio
 -  (crédito: Renato Freitas Leal)
Coletivo Não é Não lança campanha beneficente em prol de família de vítima de feminicídio - (crédito: Renato Freitas Leal)
postado em 12/01/2024 16:46 / atualizado em 12/01/2024 17:10

O coletivo Não é Não completa oito anos em 2024 com o lançamento de uma campanha beneficente de venda das tatuagens temporárias com os dizeres antiassédio. Após a trágica morte de Julieta Hernandez, a palhaça venezuelana Miss Jujuba, vítima de feminicídio no Brasil, o grupo resolveu unir as causas. Todo o lucro com a venda das tatuagens será doado para a família de Julieta. A campanha está sendo realizada por meio de um formulário que contém todas as informações necessárias para adquirir as tatuagens, como valores, número de pix para depósito e dados para envio. Os pedidos devem ser feitos até 17 de janeiro pelo link .

As tatuagens inéditas foram confeccionadas nas cores roxo e vermelho. “Essas cores são supersimbólicas para a luta das mulheres por equivalência de direitos. O roxo é uma das cores do movimento sufragista — mulheres que lutaram pelo direito ao voto feminino, iniciado na Inglaterra, em 1870 — e por isso virou a cor que representa o movimento feminista. O vermelho, com o uso do batom de mesma cor, também pelas sufragistas, passou a representar a coragem e a liberdade feminina para fazer as próprias escolhas", informa Julia Parucker, uma das fundadoras e CEO do Não é Não.

Protocolo Não é Não

O coletivo também prepara projeto para adequar os estabelecimentos à nova lei, que estabelece o Protocolo Não é Não! a locais de entretenimento onde haja venda de bebidas alcoólicas no país.

Sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a Lei nº 14.786/2023 estabelece o Protocolo Não é Não! destinado a prevenir o constrangimento e a violência contra a mulher em ambientes nos quais sejam vendidas bebidas alcoólicas. O movimento Não é Não, influência para o nome da lei, está se preparando para atender os estabelecimentos e adequá-los à nova lei. Treinamento da equipe de segurança, produção e distribuição de tatuagens e conteúdo informativo são alguns dos serviços que o grupo vai oferecer.

Para saber as novidades e apoiar as campanhas do Não é Não, acompanhe pelo site www.naoenao.com.br e pelo Instagram @naoenao_

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
-->