Dengue

"O SUS tem condições", diz ministra da Saúde sobre combate à dengue

Nísia Trindade defendeu que o sistema público de saúde tem condições de realiza um combate efetivo contra à dengue

Ministra da Saúde, Nísia Trindade Lima
 -  (crédito:  Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Ministra da Saúde, Nísia Trindade Lima - (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
postado em 03/02/2024 16:50 / atualizado em 03/02/2024 19:06

A abertura do Centro de Operações de Emergências (COE Arboviroses) foi realizada neste sábado (3/2) e contou com a presença da ministra da Saúde, Nísia Trindade. Durante o evento, ela defendeu que o sistema público de saúde tem condições de combater à dengue.

“O SUS tem condições. Já existe um conhecimento estabelecido para salvar vidas. Aqueles casos que temos verificado o agravamento, podemos agir. Temos como agir”, afirmou a ministra.

“Não é uma doença para ficarmos desestruturados, nem desorganizados. Ao contrário. É uma doença que nos leva a uma maior mobilização e maior organização e, para isso, o sistema de saúde é fundamental”, defendeu.

A portaria que institui o COE foi publicada nesta sexta-feira (2/2). Segundo a pasta, o COE vai permitir uma maior agilidade no monitoramento e análise do cenário da dengue para enfrentar o avanço da doença no país.

De acordo com o ministério, serão divulgados informes diários, semanais e mensais para manter a população, profissionais de saúde e gestores informados. As ações de enfrentamento serão coordenadas pelo Ministério da Saúde, em conjunto com estados e municípios.

O centro terá membros de diversas secretarias da pasta de Nísia e de órgãos como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e dos Conselhos Nacionais de Secretários (Conass) e Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

Casos

Nas primeiras semanas de 2024, o país registrou 262.247 casos prováveis de dengue, 29 óbitos confirmados e 173 mortes em investigação. Entre as unidades federativas, o Distrito Federal lidera o número de mortes, com 7 casos. Na sequência estão Minas Gerais (5), Paraná (4) e São Paulo (4). Além disso, estão em investigação 163 óbitos; menos de uma semana atrás, eram 85.

No mesmo período, os casos prováveis de dengue em todo país passaram de 120 mil para 243 mil. A taxa de incidência da doença por 100 mil habitantes também aumentou em todos os estados. A capital federal segue liderando o ranking (1.108), e teve aumento significativo em seis dias. Anteriormente, a taxa era de 551.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação