SUS

Nísia Trindade sobre o início da vacinação da dengue: "Momento histórico"

A ministra da Saúde acompanhou o primeiro dia de aplicações das vacinas no Brasil, em uma UBS de Brasília

Ministra Nísia Trindade posa em frente à UBS de Brasília junto com o Zé Gotinha -  (crédito: Marcelo Ferreira/C.B/D.A. Press)
Ministra Nísia Trindade posa em frente à UBS de Brasília junto com o Zé Gotinha - (crédito: Marcelo Ferreira/C.B/D.A. Press)
postado em 09/02/2024 12:52

A ministra da Saúde, Nísia Trindade, acompanhou, na manhã desta sexta-feira (9/2), o primeiro dia de vacinação contra a dengue em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) de Brasília, a do Cruzeiro. Ela caracterizou o momento como "histórico" para auxiliar em um problema de saúde pública de "muito tempo". 

"É um momento histórico, há 40 anos se espera por uma vacina contra a dengue. Agora temos uma vacina incorporada ao SUS. Mesmo sem epidemia, nós começaríamos a vacinação, porque a dengue é um problema de saúde pública há muito tempo", declarou a ministra. 

Trindade ainda afirmou que até março serão vacinadas as crianças de 10 e 11 anos e, depois, chegarão até os 14 anos. "A medida que as vacinas estão chegando, estamos seguindo aquele grupo de municípios", explicou.

De acordo com o ministério, já receberam as primeiras doses da vacina os estados de Goiás, Bahia, Acre, Paraíba, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul, Amazonas, São Paulo, Maranhão e também o Distrito Federal. Ao todo, esses locais abrigam 315 cidades das 521 que receberão as doses até o final do ano, segundo o ministério. 

"Estamos trabalhando para ampliar, com apoio da Fiocruz, essa possibilidade de ter mais doses. Vamos apoiar também a vacina do Instituto Butantan, que ainda não foi submetida à Anvisa", garantiu a ministra. A Fiocruz deve agilizar a produção dos imunizantes no país, junto a farmacêutica Takeda, e o Butantan trabalha para entregar até setembro as documentações à Anvisa. 

Quem pode tomar a vacina contra a dengue

A Qdenga é uma vacina de duas doses com intervalo de três meses entre elas. Inicialmente, o Ministério da Saúde determinou que apenas crianças e jovens entre 10 e 14 anos recebam a aplicação. Com o tempo, será estudado a ampliação de faixa etária. 

Há alguns casos que a aplicação da vacina é contraindicada, segundo nota técnica do Ministério da Saúde. Confira abaixo:

https://www.correiobraziliense.com.br/webstories/2024/01/6789882-5-passos-para-acessar-o-canal-do-correio-braziliense-no-whatsapp.html" style="display: flex; justify-content: center; align-items: center; border-radius: 11px;">
  • Indivíduos que tomaram vacinas do tipo vivas atenuadas nas últimas quatro semanas (caxumba, febre amarela, sarampo, etc)
  • Indivíduos com imunodeficiência congênita ou adquirida, incluindo aqueles
    recebendo tratamentos como quimioterapia ou que tomaram corticoides nas últimas quatro semanas;
  • Indivíduos menores de 4 anos e com 60 anos e mais;
  • Alergia a algum componente da vacina;
  • Indivíduos com infecção por HIV sintomática ou infecção por HIV assintomática
    quando acompanhada por evidência de função imunológica comprometida;
  • Gestantes;
  • Mulheres que estejam amamentando (lactantes)

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação