saúde

Vacina contra o HPV agora será em dose única

Segundo o Ministério da Saúde, nada muda em relação ao público-alvo — jovens entre 9 e 14, de ambos os sexos. Pasta estima dobrar a capacidade de imunização contra o vírus que causa vários cânceres

19/03/2015. Crédito: Gabriel Jabur/Agência Brasília. Brasil. Brasília - DF. A campanha para a vacinação contra o HPV começou no último dia 3 de março mas até o momento, poucas crianças foram imunizadas. -  (crédito: Gabriel Jabur/Agência Brasília)
19/03/2015. Crédito: Gabriel Jabur/Agência Brasília. Brasil. Brasília - DF. A campanha para a vacinação contra o HPV começou no último dia 3 de março mas até o momento, poucas crianças foram imunizadas. - (crédito: Gabriel Jabur/Agência Brasília)
postado em 03/04/2024 03:55

A vacina contra o HPV (sigla em inglês para Papilomavírus Humano) passou a ser de aplicação em dose única, segundo o Ministério da Saúde. Até então, eram aplicadas duas doses. O público-alvo segue sendo a faixa etária de meninos e meninas de 9 a 14 anos.

Com a medida, a pasta estima dobrar a capacidade de imunização contra o vírus que causa câncer de colo de útero, pênis, vulva, boca, entre outras complicações.

O ministério pretende, ainda, aumentar a adesão à vacinação e ampliar a cobertura vacinal para eliminar o câncer de colo de útero como problema de saúde pública. O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que o câncer de colo de útero é o terceiro tumor mais frequente na população feminina e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil, sendo responsável por cerca de 17 mil novos casos e quase 7 mil óbitos por ano. Estima-se que, em 2023, 10.700 mortes por câncer relacionado ao HPV poderiam ter sido evitadas no país.

"O Brasil completa este ano 10 anos da vacina contra o HPV. Conforme foi se consolidando o uso dessa vacina, foi se acumulando conhecimento sobre ela e também sua efetividade. Viu-se que com uma dose já se garante um número de anticorpos suficientes contra o vírus", afirmou Eder Gatti, diretor do Programa Nacional de Imunização (PNI), durante coletiva de imprensa realizada ontem.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) já havia recomendado a vacinação contra o HPV em dose única. Outros países já acataram a orientação — o Brasil é o 37º a adotar esse esquema vacinal. Além disso, de acordo com a pasta, estudos da Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer (IARC) e do Instituto Nacional do Câncer (INCA) mostraram que a eliminação do câncer de colo de útero varia pela cobertura vacinal e a incidência de câncer em cada região. Assim, é importante que haja cada vez mais imunizados.

Atualmente, no país, a cobertura vacinal para meninas com a primeira dose atinge 76%, no entanto, para a segunda dose não alcança 60%. Em relação aos meninos, a cobertura com a primeira dose é de 42% e a segunda, de 27%.

O público-alvo da vacinação contra o HPV são meninas e meninos de 9 a 14 anos, pois a ideia é protegê-los antes da exposição ao vírus. O grupo prioritário também inclui pessoas com imunocomprometimento, vítimas de violência sexual e outras condições específicas, podendo receber a vacina até os 45 anos.

O Ministério da Saúde recomenda ainda que estados e municípios realizem busca ativa para garantir que todos os jovens brasileiros de até 19 anos tenham sido vacinados. Nesses casos, poderão receber o esquema em dose única todas as pessoas dentro dessa faixa etária que não foram imunizadas ou que estão com o esquema vacinal incompleto.

 

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br