Feminicídio

Mulher esfaqueada pelo ex em hospital será enterrada nesta quarta

Shirley Rúbia Gertrudes, 39 anos, foi morta, na tarde desta segunda-feira (14/9), dentro do Hospital São Francisco, em Ceilândia. A filha do casal, de 4 anos, presenciou o crime

Darcianne Diogo
postado em 15/09/2020 20:42 / atualizado em 15/09/2020 20:42
 (crédito: Arquivo cedido ao Correio)
(crédito: Arquivo cedido ao Correio)

A segurança esfaqueada pelo ex-companheiro será enterrada na tarde desta quarta-feira (16/9), no Cemitério Campo da Esperança da Asa Sul. Shirley Rúbia Gertrudes, 39 anos, foi morta, na tarde desta segunda-feira (14/9), dentro do Hospital São Francisco, em Ceilândia, durante a consulta pediátrica da filha do casal, de 4 anos.

O velório começará às 14h, na Capela 8, e terminará às 16h30. O criminoso, identificado como Rafael Rodriguel Manuel, 35, que se suicidou após matar a ex-mulher, também será enterrado no local, pela manhã, às 9h.

O casal assumiu o namoro em 2013 e teve uma filha, mas rompeu o relacionamento havia pouco mais de três meses, segundo informaram familiares ao Correio. Rafael, que trabalhava como assessor de cinegrafista em uma emissora de TV, não aceitava o término do relacionamento. Investigações conduzidas pela Delegacia de Atendimento Especializado à Mulher (Deam II) revelaram que os dois mantinham uma relação conturbada.

No dia do crime, Shirley havia agendado uma consulta pediátrica no Hospital São Francisco — local onde trabalhou como recepcionista por cinco anos — e Rafael a acompanhou. Os dois ficaram na sala de espera e, após alguns minutos, foram chamados. O suspeito ficou pouco tempo dentro do consultório e saiu em seguida. De acordo com a apuração policial, ele teria ido ao carro e pegado uma faca. Ao retornar à sala, o homem efetuou diversos golpes de faca contra Shirley.

O crime foi testemunhado pelo pediatra e pela filha do casal, que estava se pesando na balança para dar prosseguimento aos exames. A segurança chegou a ser socorrida pela equipe médica da unidade de saúde e encaminhada ao centro cirúrgico, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Após matá-la, Rafael saiu correndo do hospital, entrou no carro e dirigiu até a casa onde mora com os pais, em Samambaia. Lá, ele efetuou um disparo de arma de fogo contra si mesmo. Tanto a faca usada para assassinar a ex-mulher quanto a arma foram apreendidas pela polícia e encaminhadas à perícia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação