ASSISTÊNCIA

No DF, mais de 2 mil pessoas em situação de rua receberam atendimento em janeiro

No Distrito Federal, 28 equipes acompanharam indivíduos em situação de vulnerabilidade. Abordagens incluem explicações sobre acesso a direitos básicos, bem como orientações de como se cadastrar em programas sociais

Edis Henrique Peres
postado em 22/02/2021 22:22 / atualizado em 22/02/2021 22:23
Serviço da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) acompanhou 2.206 pessoas em condição de vulnerabilidade -  (crédito: Breno FortesCBD.A Press)
Serviço da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) acompanhou 2.206 pessoas em condição de vulnerabilidade - (crédito: Breno FortesCBD.A Press)

O Serviço Especializado em Abordagem Social (Seas) acompanhou 2.206 pessoas em situação de rua do Distrito Federal durante o mês passado. Ao todo, 140 profissionais atuam até às 22h, inclusive em fins de semana, divididos em 28 equipes. A maioria das 4.956 abordagens de janeiro ocorreu em Taguatinga, Ceilândia, no Gama, Núcleo Bandeirante e no Plano Piloto. As regiões administrativas são as áreas que concentram o maior número de pessoas em condição de vulnerabilidade.

A Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), responsável pela gestão do serviço, contabilizou 2.378 encaminhamentos para acompanhamento especializado no período. As equipes promovem atendimento humanizado, falam sobre o acesso a programas e benefícios sociais, explicam sobre direitos dos cidadãos e encaminham dependentes químicos para receber atendimento especializado nas unidades socioassistenciais, caso seja do interesse das pessoas abordadas.

Os profissionais da abordagem social identificam situações de risco social e pessoal da população em situação de rua, como problemas com trabalho infantil ou exploração sexual de indivíduos com menos de 18 anos. Os atendimentos ocorrem diversas vezes por mês, segundo a pasta.

Monitoramento

As também promovem rondas nas regiões administrativas e acompanham pessoas que vivem em invasões. Além disso, orientam os cidadãos que se declaram em situação de rua sobre como ter acesso a benefícios sociais, direitos garantidos na legislação, relacionados a cuidados com a saúde, questões habitacionais e unidades de acolhimento. Os servidores também auxiliam sobre o retorno para as cidades de origem dessa população.

Em janeiro, houve 5.645 orientações desse tipo, de acordo com a Sedes. Os encaminhamentos ocorrem quando o indivíduo em situação de rua recebe atendimento efetivo, como para dar entrada em documentos pessoais; fazer inscrição em programas sociais ou de Benefício de Prestação Continuada (BPC); no Cadastro Único (CadÚnico) do governo Federal; no cadastro da Secretaria de Trabalho (Setrab); ou na Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab).

As pessoas atendidas são encaminhadas para atendimento nos centros especializados em assistência social (Creas) ou nas duas unidades de referência especializadas para a população em situação de rua (Centro POP), localizados no Plano Piloto e em Taguatinga.

Como ajudar

As pessoas em situação de rua acompanhadas pelas equipes de Abordagem Social têm gratuidade nas refeições oferecidas em todos os Restaurantes Comunitários do DF. Para quem encontrar alguém em condição de vulnerabilidade, é possível ligar na central de atendimento da Sedes, pelo telefone 3322-1441, para acionar o serviço especializado. O atendimento ocorre de domingo a domingo, inclusive em feriados, das 8h às 20h.

Também é possível telefonar para o 162, para relatar situação de emergência e acionar as equipes de atendimento.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE