Pandemia

Covid-19: jovens passam a representar fatia 3 vezes maior nas mortes do DF

Em fevereiro, as pessoas de 30 a 39 anos representavam 1,8% do total de mortes pela doença. Em março, o valor passou para 5,3% do total

Samara Schwingel
postado em 19/03/2021 16:47 / atualizado em 19/03/2021 17:53
A taxa de mortalidade cresceu e há mais jovens internados na segunda onda de contaminações -  (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A Press            )
A taxa de mortalidade cresceu e há mais jovens internados na segunda onda de contaminações - (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A Press )

A mortalidade da covid-19 em pessoas que têm de 30 a 39 anos cresceu em 3,5 pontos percentuais em um mês no Distrito Federal. Em fevereiro, esta faixa etária representava 1,8% do total de mortes. Já em março, este grupo passou a corresponder a 5,3% das mortes pela doença registradas na capital federal. O total de jovens mortos pela doença quase triplicou em um mês.  

A informação foi divulgada pelo secretário da Casa Civil, Gustavo Rocha, na tarde desta sexta-feira (19/3), em coletiva no Palácio do Buriti. "Isso mostra que os jovens não estão livre de serem contaminados, de transmitirem, de irem a um leito e do óbito", considerou Gustavo. 

Ainda segundo o secretário, esta faixa etária representa 25,8% do total de casos no DF. "Quando somamos as faixas menores, ou seja, de 0 a 19 e de 20 a 29, estes dois grupos representam 25% dos casos do DF", reforçou. 

Nesta sexta, a taxa de transmissão da covid-19 na capital federal voltou a subir e chegou a 1,01. Devido ao crescimento, o governador Ibaneis Rocha (MDB) assinou um decreto, que deve ser publicado ainda nesta sexta, estendendo as medidas restritivas até 28 de março

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE