Pandemia

Vacina: aplicação da 2ª dose em idosos e profissionais de saúde tem pouca fila

Neste domingo, apenas idosos e profissionais de saude agendados estão se vacinando no drive-thru do Parque da Cidade. Atendimento vai até às 17h

Adriana Bernardes
Larissa Passos
postado em 04/04/2021 11:28 / atualizado em 04/04/2021 15:07
 (crédito: Larissa Passos)
(crédito: Larissa Passos)

A vacinação contra a covid-19, no Parque da Cidade começou tranquila neste domingo (4/4). O atendimento começou às 9h, com baixa demanda, classificação do Departamento de Trânsito (Detran) para os momentos em que há até 20 carros na fila. Por volta das 10h, a equipe do Correio contou 40 veículos e tempo de espera de até 20 minutos. 

Moradora da área Octogonal, a aposentada Marisete Bezerra Tavares, 75 anos, chegou ao Parque da Cidade por volta das 10h30 e logo se vacinou. "É uma benção de Deus a gente ter a oportunidade de se vacinar e esperar pra ficar livre dessa doença. Eu estava ansiosa", relata.

Apesar do alívio, Marisete sabe que concluir o ciclo de imunização está longe de voltar a ter uma vida normal. "Não, de maneira nenhuma! Tem que manter os cuidados até a gente ver como é que vai ficar. Melhora muito devido à preocupação que a gente tem em pegar a doença", afirma. 

Neste domingo de Páscoa, a vacinação é exclusiva para aplicação da segunda dose em idosos e profissionais da saúde. Marcela de Melo Viana, 20 anos é técnica de enfermagem e moradora do Guará. Para ela, sair dali com a segunda dose a faz se sentir mais segura para trabalhar e alivia a ansiedade. "Hoje, a gente está precisando muito disso. A vacina vai ser boa para eu me prevenir. Não vou dizer que eu não posso pegar covid-19, porque eu posso pegar sim. Vou continuar me prevenindo e tendo bastante cuidado com a saúde", ponderou. 

O funcionamento do drive-thru vai até às 17h. Agentes do Departamento de Trânsito (Detran) estão no local para coordenar a circulação de veículos.

Fila e alívio

No sábado, quando a Secretaria de Saúde abriu a imunização dos idosos de 66 anos, com apenas 1.111 doses enviadas pelo Governo Federal, algumas pessoas passaram até 6h na fila até serem vacinadas. Centenas seguiram para os drive-thrus ainda na sexta (2/4), para guardar lugar. Por volta das 21h, funcionários do GDF distribuíram senhas para que eles voltassem para casa.

Já no sábado (3/4), as filas nos drive-thrus chegaram a ter 500 a 700 carros. Mesmo o GDF garantindo que haverá vacinas para todos os moradores do Distrito Federal, os idosos permaneceram nos pontos de atendimento. Até que a Saúde conseguiu remanejar doses de imunizantes de profissionais de saúde, totalizando 3,6 mil unidades. Morador do PSul, em Ceilândia, Zacarias Pereira, 66, comparou a sensação de de ser vacinado a "tirar uma cruz muito pesada dos ombros". 

Até agora, o governo não tem como dizer quando mais pessoas desta faixa etária serão chamadas. Para que isso ocorra, o Governo Federal precisa enviar mais doses para o DF.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE