Solidariedade

Fiéis fazem carreata de oração e doam 7 mil EPIs ao Hospital de Sobradinho

Enquanto o Supremo Tribunal Federal decide sobre a permissão para funcionamento de eventos religiosos, igrejas buscam alternativas seguras para realizar atividades

Mariana Araújo*
postado em 06/04/2021 13:25
 (crédito: iasdsobradinho)
(crédito: iasdsobradinho)

Diante da crise causada pela pandemia de covid-19, com hospitais lotados e profissionais da saúde no limite da exaustão, fiéis estão unindo esforços para ajudar quem está na linha de frente do combate ao novo coronavírus. No último sábado (3/4), membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia de Sobradinho uniram a fé e a solidariedade em uma carreata de oração que fazia parte das atividades da Semana Santa. A carreata foi acompanhada de um culto drive-in e a doação de Equipamento de Proteção Individual (EPIs) para o Hospital Regional de Sobradinho (HRS).

Na ação, foram entregues 6 mil luvas e mil capotes para os profissionais de saúde do HRS em parceria com a Agência de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) de Brasília e Entorno. Além dos equipamentos, também foram entregues cartas de gratidão aos profissionais de saúde escritas por crianças e adolescentes.

 

Carreata de Oração,  igreja Adventista do Sétimo Dia
Carreata de Oração, igreja Adventista do Sétimo Dia (foto: iasdsobradinho)

O pastor responsável pela igreja, Sandro Costa, destaca que as orações acontecem todo ano em forma de caminhada e por conta da pandemia, esse ano foi feita a carreata para evitar aglomeração. Ele conta que devido às necessidades de materiais para os hospitais, decidiram unir a carreata às doações como forma de ajudar e abençoar os que mais precisam nesse momento. 

"Vários voluntários se uniram em forma de doação de recursos financeiros para doar os equipamentos. Só que a Igreja não se preocupa só com o material, mas sim com o estado emocional. Sendo assim, decidimos escrever cartas de carinho que foram feitas por crianças e adolescentes para os profissionais de saúde", destaca o pastor. 

Durante a pandemia, várias igrejas têm procurado maneiras de manter celebrações de forma segura. Com a proibição dos eventos religiosos presenciais, elas têm se adaptado aos meios online. O Pastor Sandro reforça que a prioridade é a saúde e preservação da vida.

"Nesse momento tão delicado em que as pessoas estão abaladas, emocionalmente e fisicamente, existe esperança. O ato de orar nas ruas e doar equipamentos ao hospital mostra que o amor é estar junto da comunidade que você ama e que cada um faz parte da nossa família. Por isso, queríamos mostrar que estamos juntos nesse momento". 

No sábado (3/4), o ministro Kassio Nunes Marques do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou cultos e celebrações religiosas em todo o Brasil em meio ao pior momento da pandemia. Marques determinou que sejam aplicados protocolos sanitários nos espaços religiosos, limitando a presença em cultos e missas a 25% da capacidade do público. A justificativa foi a celebração da Páscoa, comemorada pelos brasileiros cristãos, que são maioria no Brasil.

Na última segunda-feira (5/4), o ministro Gilmar Mendes, também do STF, negou um pedido do PSD para que as igrejas fossem reabertas em São Paulo. A decisão é contrária ao entendimento do ministro Kássio Nunes Marques, que no fim de semana proibiu o fechamento dos templos em todo o país. Por isso, a discussão deve ser decidida definitivamente em plenário.

*Estagiária sob supervisão de Ed Wanderley

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE