REIVINDICAÇÃO

Rodoviários suspendem paralisação desta sexta-feira para se reunir com GDF

Categoria pede inclusão no grupo de profissionais vacinados contra a covid-19. Desde o início da pandemia, 31 trabalhadores morreram por causa da doença, 11 deles só neste mês

Ana Isabel Mansur
postado em 29/04/2021 23:52 / atualizado em 29/04/2021 23:55
Paralisação de 24 horas havia sido anunciada na terça-feira (27/4), mas não ocorrerá mais -  (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
Paralisação de 24 horas havia sido anunciada na terça-feira (27/4), mas não ocorrerá mais - (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

Após conseguirem marcar uma reunião com o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), os trabalhadores rodoviários suspenderam uma paralisação de 24 horas marcada para esta sexta-feira (30/4). A greve seria para reivindicar a inclusão da categoria, formada por 12 mil profissionais, na campanha de vacinação contra a covid-19. Eles cobram o atendimento junto a profissionais da segurança pública e da educação.

Em nota, o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte do Distrito Federal (Sittrater) informou que a paralisação foi desmarcada após o agendamento de reunião com o chefe do Palácio do Buriti. O encontro será às 11h, nesta sexta-feira (30/4), no Palácio do Buriti. Além do governador, participarão os secretários de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro, bem como de Saúde, Osnei Okumoto.

"Com a suspensão do movimento, a direção prestigia o diálogo na busca de uma saída que atenda aos anseios da categoria, sem prejudicar a população do Distrito Federal. Ao marcar reunião, o governador sinaliza sensibilidade para a questão, o que faz parecer que é possível encontrar uma saída que não traga transtornos à coletividade", diz o sindicato, em nota.

O Sittrater cobra que os rodoviários tenham prioridade na campanha, dada as condições de trabalho da categoria, "não como anunciado pelo GDF recentemente, com previsão para após os dois primeiros grupos (prioritários), o que levaria grande tempo para se concretizar", completa o documento.

Rotina

O sindicato destaca que, desde o início da pandemia, 31 trabalhadores morreram de covid-19 — 11 deles em menos de um mês. "Não há estatística sobre o número de contaminados. Entretanto, sabemos ser grande, dada a quantidade de afastamentos verificados. É enorme a preocupação por parte dos trabalhadores com o aumento da taxa de letalidade verificada nos últimos meses", justifica a entidade.

O texto do Sittrater enfatiza que um trabalhador rodoviário pode passar mais de 10 horas por dia dentro de um ônibus, considerados o tempo da jornada e o de deslocamento ao trabalho. "(Os profissionais) mantêm contato com centenas de pessoas diariamente, muitas delas portando o vírus. O ambiente de trabalho (...) não pode ser alterado de forma a assegurar maior proteção. (...) Os hábitos de deslocamento da população não podem ser alterados de forma a garantir o distanciamento recomendado pelas autoridades de saúde. Assim sendo, somente a vacinação poderá trazer um pouco mais de tranquilidade", reforça o sindicato.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE