SAÚDE

Covid-19: HRL usa música e cartas para levar afeto a pacientes internados

O Hospital da Região Leste (HRL), no Paranoá, iniciou, em abril, o projeto "HRL por você, para você", idealizado pela equipe de enfermagem do pronto-socorro (PS). Uma caixinha foi colocada à disposição dos familiares, para que deixem cartas aos pacientes

Correio Braziliense
postado em 04/05/2021 19:24
 (crédito: Breno Esaki/Agência Saúde-DF)
(crédito: Breno Esaki/Agência Saúde-DF)

O Hospital da Região Leste (HRL) do Distrito Federal, no Paranoá, iniciou, no mês de abril, o projeto "HRL por você, para você", idealizado pela equipe de enfermagem do pronto-socorro (PS). A unidade usa música e cartas para levar afeto aos pacientes internados com a covid-19

Uma caixinha foi colocada à disposição dos familiares, na recepção do hospital, para que deixem cartas aos pacientes. A caixa foi personalizada com os dizeres “Nenhum de nós é tão bom quanto todos nós juntos”. No local estão disponíveis canetas e papeis coloridos para que a família dê seu toque pessoal à carta. Diariamente, uma equipe do Pronto-Socorro recolhe o material e entrega aos destinatários. 

Músicas 

Além das mensagens, a equipe promove momentos musicais para tornar o ambiente mais leve. “Pesquisamos as músicas preferidas de cada paciente e colocamos como som ambiente nos momentos apropriados”, conta a Gerente de Emergência do HRL, Cláudia Maria Mithie Suda Costa Joffily.

Nos fins de semana, mais uma atração para aliviar os dias difíceis: o técnico de enfermagem Elias Lisboa toca violão e a equipe canta junto com os pacientes. “Eu levo o violão e nós cantamos algumas canções e sempre deixamos uma mensagem de motivação, fé e esperança para eles”, relata. “É um momento de grande emoção”, completa Cláudia.

Retorno positivo

Segundo a gerente, o retorno tem sido muito positivo, tanto para os pacientes quanto para os servidores. “Os pacientes ficam felizes, emocionados. Isso traz um incentivo ao tratamento e afeta diretamente a recuperação deles”, diz. Além disso, ameniza também o dia a dia de trabalho dos profissionais que atuam na linha de frente. “Os servidores ficam motivados, pois temos mais de um ano de pandemia e a equipe está exausta”, desabafa.

Os familiares, durante o Boletim Médico, foram avisados sobre a ação e ficaram satisfeitos em saber do acolhimento. “Esperamos que os pacientes se sintam abraçados, cuidados e a solidão típica do tratamento hospitalar da covid-19 seja diminuída”, destaca Cláudia. “Queremos também que os familiares percebam nossa assistência afetiva e tenham o sofrimento pela distância dos entes queridos amenizado”, finaliza.

Outras ações  

Além dessas ações, outras ideias surgiram para ampliar o atendimento humanizado no local. A equipe está implementando o prontuário afetivo – que além dos dados do paciente traz músicas preferidas, time do coração e outras informações sobre a personalidade.

Pelos corredores, uma decoração colorida com flores e luzes alegra o ambiente. Quem passa pela saída da Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) pode ver um quadro em que constam as iniciais de pacientes que tiveram alta e venceram a covid. A enfermaria do andar, que também possui pacientes em tratamento para a covid-19, recebeu decoração diferenciada, com palavras de força para quem está chegando.

 Durante as refeições, mensagens de “bom dia”, “boa recuperação” e palavras motivadoras “força”, “fé”, “esperança”, “saúde” são colocadas nas bandejas de refeições para os pacientes como forma de levar ânimo.

Para os que estão atuando na linha de frente, as chefias, direção hospital e gerentes prepararam uma homenagem: um mural com os nomes de cada um e palavras de agradecimento pelo trabalho e dedicação durante a pandemia. Um outro cantinho foi montado com fotos da equipe.

Com informações da Agência Brasília

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE