saúde

Agendamento para vacinação de pessoas acima de 41 anos é alvo de críticas

Manifestações pelas redes sociais destacam que quantidade de marcações disponibilizadas é pequeno em relação ao tamanho da população. Outra queixa foi quanto à lentidão do sistema

Jéssica Moura
Ana Isabel Mansur
postado em 10/07/2021 16:03 / atualizado em 10/07/2021 17:29
 (crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
(crédito: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

Na manhã deste sábado (10/7), o agendamento para o público até 41 anos para a imunização contra a covid-19 acabou em exatos 28 minutos. Segundo a Secretaria de Saúde (SES-DF), a quantidade de acessos simultâneos foi recorde. A pasta informou que a retomada das marcações depende da chegada de novas remessas, que ainda não tem previsão para ocorrer.

Em nota, a SES-DF afirmou que 23% das pessoas na faixa de 40 a 44 anos já foram vacinadas pela inclusão em públicos prioritários, como categorias profissionais e o grupo de comorbidades. A pasta não informou, porém, qual é o total de cidadãos nas faixas etárias nem se este número corresponde ao total de vagas abertas para imunização neste sábado (10/7).

A rapidez com que o agendamento terminou despertou críticas dos moradores da capital federal, já que muita gente ficou de fora neste momento. Ao todo, 20.992 agendamentos foram registrados neste sábado (10/7).

Pouco antes do horário em que os agendamentos seriam abertos, às 10h, a doceira Amanda Ribeiro foi para a frente do computador. "Quando deu 9h57 eu já comecei a tentar para ver se conseguia entrar na página", relata. "Só que não apareceu a opção de marcação para minha idade, só para gestantes. Continuei tentando e não consegui de jeito nenhum".

Amanda prosseguiu com as tentativas por mais de 1h30, e diz que foi surpreendida quando soube que as vagas se encerraram em menos de meia hora. "Fiquei chateada. Sou obesa, tenho predisposição a diabetes, e vou ter que esperar mais um pouco".

Com o aumento da circulação de novas cepas, ela diz que teme ser infectada. "Eu queria muito ter tomado para ficar mais segura. Se pegar (a covid-19), posso ter problemas sérios, a gente fica com medo", diz. "Vou tentar na próxima". Pelas redes sociais, houve queixas parecidas de usuários do Twitter e do Instagram.

Políticos

O deputado distrital Fábio Félix (Psol) criticou a logística na manhã deste sábado (10/7). "O que o GDF está promovendo é quase que um sorteio de vacina, além de propaganda enganosa. Não há vacinas suficientes pra imunizar as faixas etárias anunciadas, é absurdo e vamos cobrar explicações!", escreveu o parlamentar.

A secretaria respondeu que "a oferta de vagas depende da quantidade de vacinas enviadas ao DF pelo Ministério da Saúde".

O ex-governador Rodrigo Rollemberg (PSB), em uma rede social nessa sexta-feira (9/7), disse que "é um absurdo total que o Distrito Federal tenha 400 mil doses em estoque ao invés de estar avançado na vacinação da população. É muita incompetência e maldade do governo Ibaneis".

O vacinômetro da Secretaria de Saúde informa que há no estoque 168,9 mil doses de vacinas de Oxford/AstraZeneca, destinadas à 2ª aplicação, e outras 43,3 mil da CoronaVac separadas para a mesma finalidade. 

O anúncio da ampliação do público da campanha foi feito na quinta-feira (8/7), depois da entrega ao Distrito Federal de 21 mil doses de imunizantes do laboratório Pfizer. Nos últimos meses, o governo local vem sendo alvo de críticas pela lentidão para incluir novos grupos etários entre os prioritários na vacinação.

Em entrevista, na quarta-feira (7/7), ao CB.Poder, o deputado Rafael Prudente (MDB), presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), afirmou que a SES-DF poderia estar com o quadro de vacinação mais avançado no DF. O CB.Poder é uma parceria entre o Correio e a TV Brasília

Com isso, em 2 de julho, o governador Ibaneis Rocha (MDB) anunciou que, dali para frente, a campanha seria ampliada com base na faixa etária, e não em categorias profissionais.

CONTINUE LENDO SOBRE