Ceilândia

Policiais salvam a vida de criança engasgada com macarrão

O menino de 2 anos de idade foi reanimado pelos policiais após moradores da região acharem que ele estava morto

Correio Braziliense
postado em 26/07/2021 08:41
 (crédito: PMDF/Divulgação)
(crédito: PMDF/Divulgação)

Policiais militares do 8º Batalhão de São Sebastião salvaram um menino, de 2 anos, que estava engasgado e sem respirar, em Ceilândia. O caso foi registrado por volta das 18h deste domingo (25/7).De acordo com informações da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), o garoto havia se engasgado com macarrão.

Uma mulher foi até a corporação pedir socorro aos policiais. Desesperada, a mulher informou que a criança estava a poucos metros do batalhão. Quando os policiais chegaram ao local, os moradores da região já estavam dando a criança como morta. Mesmo assim, a equipe começou a fazer as manobras para tentar salvá-la. Os policiais fizeram massagens e respiração boca a boca até que a criança voltasse à vida.

Após reanimar o menino, os policiais encontraram com a ambulância do SAMU que continuou com os atendimentos. Em seguida, ele foi levado ao Hospital Regional de Ceilândia (HRC).

Socorro inusitado

Na última terça-feira (20/7), o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) ajudou Karoline, 27 anos. Grávida de 38 semanas, a mulher entrou em trabalho de parto dentro da própria casa, no Gama. A ocorrência foi atendida pela corporação na terça-feira (20/7), por volta das 8h.

Segundo os agentes, Karoline estava sendo auxiliada por uma amiga, que acionou o CBMDF pelo 193. Quando a equipe chegou no local, a grávida estava na sala de estar da casa, deitada em um colchão. A criança já estava coroando, ou seja, em processo de nascimento, e os militares precisaram iniciar procedimentos de auxílio ao parto.

O bebê nasceu saudável, às 8h30, e recebeu os devidos cuidados. De acordo com a corporação, a mãe e a criança foram transferidos para o Hospital Regional do Gama (HRG). O CBMDF não divulgou o estado de saúde da mãe após o nascimento.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE