Ajuda

Bombeiros ajudam mulher que entrou em trabalho de parto em casa, no Gama

Quando a equipe chegou no local, a grávida estava na sala de estar da casa, deitada em um colchão. A criança já estava coroando e os bombeiros auxiliaram no parto

Ana Maria da Silva
postado em 21/07/2021 11:47
Karoline estava em casa quando entrou em trabalho de parto -  (crédito: Divulgação/CBMDF)
Karoline estava em casa quando entrou em trabalho de parto - (crédito: Divulgação/CBMDF)

Foi com a ajuda do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) que Karoline, 27 anos, deu à luz ao seu bebê. Grávida de 38 semanas, a mulher entrou em trabalho de parto dentro da própria casa, no Gama. A ocorrência foi atendida pela corporação na terça-feira (20/7), por volta das 8h.

Segundo os agentes, Karoline estava sendo auxiliada por uma amiga, que acionou o CBMDF pelo 193. Quando a equipe chegou no local, a grávida estava na sala de estar da casa, deitada em um colchão. A criança já estava coroando, ou seja, em processo de nascimento, e os militares precisaram iniciar procedimentos de auxílio ao parto.

O bebê nasceu saudável, às 8h30, e recebeu os devidos cuidados. De acordo com a corporação, a mãe e a criança foram transferidos para o Hospital Regional do Gama (HRG). O CBMDF não divulgou o estado de saúde da mãe após o nascimento.

Socorro inusitado

Na última semana, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) também prestou socorro de forma inusitada para uma mulher. A técnica de enfermagem Maria de Fátima Lima dos Reis, 31 anos, pegou carona com agentes da corporação, na última quarta-feira (14/7), para ir ao seu casamento, após o carro quebrar. O socorro aconteceu na BR 020.

Moradora de Formosa, Maria contou que seguia caminho para o cartório do Colorado na companhia de um casal de padrinhos quando o veículo enguiçou na altura do quilômetro 41 da rodovia, em Planaltina. Faltavam 30 minutos para o início da cerimônia quando os policiais pararam ao verem o carro encostado no acostamento. “Eu fiquei desesperada. Estava com toda aquela maquiagem e aquele vestido de noiva quente. Mas foi um sonho, um casamento inesquecível”, define.

*Com informações do CBMDF

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE