JULGAMENTO

Motorista bêbada que atropelou e matou ciclista é condenada por júri de Ceilândia

A mulher não tinha carteira de habilitação e, além de embriagada, conduzia o carro sob a influência de cocaína. Crime ocorreu em janeiro do ano passado e ela foi condenada a seis anos de reclusão

Ana Isabel Mansur
postado em 03/08/2021 18:23
O crime ocorreu em 25 de janeiro de 2020. Jailson Barbosa de Oliveira se deslocava ao trabalho de bicicleta por ciclovia em Ceilândia, quando foi atingido pelo carro de Luzia -  (crédito: Divulgação/PMDF)
O crime ocorreu em 25 de janeiro de 2020. Jailson Barbosa de Oliveira se deslocava ao trabalho de bicicleta por ciclovia em Ceilândia, quando foi atingido pelo carro de Luzia - (crédito: Divulgação/PMDF)

A Promotoria de Justiça do Tribunal de Júri de Ceilândia obteve a condenação de Luzia Ferreira de Assis pelos crimes de homicídio doloso de Jailson Barbosa de Oliveira, 34, e embriaguez ao volante. A condenada tinha 24 anos à época dos fatos.

A pena é de seis anos de reclusão e seis meses de detenção no regime semiaberto, além de pagamento de multa e proibição de tirar habilitação até cumprir todas as penas. O julgamento foi realizado nesta terça-feira (3/8). Luzia poderá recorrer em liberdade.

A sentença ressaltou que a condenada "não é portadora de maus antecedentes" e que sobre ela há "poucos elementos a respeito de sua conduta social e personalidade." Ela não possuía carteira de motorista e dirigia o carro sob efeitos de álcool e cocaína. 

Relembre

O crime ocorreu em 25 de janeiro de 2020. Jailson Barbosa de Oliveira se deslocava ao trabalho de bicicleta por ciclovia em Ceilândia, quando foi atingido pelo carro de Luzia. Jailson foi levado ao Hospital Regional de Ceilândia com ferimentos graves, mas não resistiu e faleceu em 27 de janeiro de 2020, em decorrência de politraumatismo ocasionado pelo atropelamento. Luzia foi liberada no dia em que o ciclista morreu.

Conforme apuração realizada à época, pela 15ª Delegacia de Polícia (Ceilândia Sul), a mulher saiu de casa, na Cidade Estrutural, ainda na noite do dia 24 de janeiro. Ela conduziu o veículo na companhia do marido até Ceilândia, para encontrar uma amiga. Ambos estavam bêbados.

A condutora continuou bebendo em uma distribuidora de Ceilândia e, depois, seguiram para um bar da região. Ali, ocorreu uma confusão e eles decidiram seguir para uma festa no Recanto das Emas. Luzia continuou na direção do carro, e foi nesse trajeto que ela invadiu a ciclofaixa e atropelou Jailson, que estava a caminho do trabalho.

Após o acidente, Luzia foi presa e Jailson chegou a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e foi levado ao hospital. No domingo, a suspeita passou por audiência de custódia e conseguiu a liberdade provisória. A juíza que analisou o caso à época avaliou que a conduta "não evidenciou periculosidade exacerbada da autora."

Outro lado

A defesa de Luzia tem sido feita pela Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF). O Correio entrou em contato com a DPDF e aguarda retorno. O espaço segue aberto para manifestações.

  • O ciclista atropelado por uma motorista embriagada e sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH) morreu nesta segunda-feira (27/1). Jailson Barbosa, 34 anos, estava internado em estado grave no Hospital Regional de Ceilândia (HRC) desde o dia do acidente. Nesta manhã, a família confirmou o óbito e se indignou com o fato nas redes sociais.
    O ciclista atropelado por uma motorista embriagada e sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH) morreu nesta segunda-feira (27/1). Jailson Barbosa, 34 anos, estava internado em estado grave no Hospital Regional de Ceilândia (HRC) desde o dia do acidente. Nesta manhã, a família confirmou o óbito e se indignou com o fato nas redes sociais. Foto: Reprodução/Redes Sociais
  • O ciclista atropelado no último sábado (25/1) por uma motorista embriagada e sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH) morreu nesta segunda-feira (27/1). Jailson Barbosa, 34 anos, estava internado em estado grave no Hospital Regional de Ceilândia (HRC) desde o dia do acidente. Nesta manhã, a família confirmou o óbito e se indignou com o fato nas redes sociais.
    O ciclista atropelado no último sábado (25/1) por uma motorista embriagada e sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH) morreu nesta segunda-feira (27/1). Jailson Barbosa, 34 anos, estava internado em estado grave no Hospital Regional de Ceilândia (HRC) desde o dia do acidente. Nesta manhã, a família confirmou o óbito e se indignou com o fato nas redes sociais. Foto: Divulgação/PMDF
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE