DECISÃO

Justiça do DF solta mulher presa após quebrar e incendiar clínica de ex

Camilla Moreira foi liberada após audiência de custódia, nessa quinta-feira (12/8). Ela havia sido presa um dia antes, acusada de perseguir o ex-namorado e de danificar a clínica onde ele trabalhava

Pedro Marra
postado em 13/08/2021 00:04 / atualizado em 13/08/2021 00:07
Itens quebrados no consultório, em Vicente Pires; acusada terá de usar tornozeleira eletrônica e não poderá se aproximar da vítima -  (crédito: PCDF/Divulgação)
Itens quebrados no consultório, em Vicente Pires; acusada terá de usar tornozeleira eletrônica e não poderá se aproximar da vítima - (crédito: PCDF/Divulgação)

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) liberou, nessa quinta-feira (12/8), após audiência de custódia, Camilla Moreira do Nascimento Lima, 29 anos. Ela foi presa, acusada de perseguir o ex-namorado, um médico de 51 anos, além de quebrar e incendiar a clínica dele. Mesmo solta, ela terá de  usar tornozeleira eletrônica e está proibida de se aproximar da vítima.

A mulher e o médico namoraram por cerca de três anos, segundo as investigações, e tinham se separado há sete meses. Antes do registro de ocorrência, a acusada enviou mensagens de áudio com ameaças ao médico, dizendo que quebraria o consultório e a casa do ex-companheiro.

Na quarta-feira (11/8), ela invadiu a clínica onde a vítima trabalhava, em Vicente Pires, quebrou itens e colocou fogo no lençol de uma das macas do consultório. O prejuízo causado fica em torno de R$ 200 mil. Cerca de 10 pessoas estavam no prédio no momento do incêndio, mas o fogo não se espalhou, devido à ação de funcionários do local, que atuaram para controlar as chamas.

 

Em depoimento na 38ª Delegacia de Polícia (Vicente Pires), Camilla relatou que havia sido humilhada, agredida e ameaçada pelo namorado durante o relacionamento. Após tentarem retomar a relação, segundo a acusada, o médico teria discutido com a ex-companheira por ciúmes e ameaçado a família dela. Revoltada com a intimidação, a autora decidiu incendiar a clínica onde o profissional da saúde trabalhava, para que ele a deixasse em paz.

Assista ao vídeo de como ficou o local:

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE