Vistoria

CRM aponta falta de recursos humanos no HRG e ameaça fechar hospital

De acordo com o presidente do CRM-DF, há apenas um terço da quantidade de médicos necessários para atender corretamente a população. Além disso, o conselho apontou superlotação e estrutura precária

Samara Schwingel
postado em 17/08/2021 14:55 / atualizado em 17/08/2021 14:56
Falta de recursos humanos gera sobrecarga e filas no atendimento -  (crédito: Daniel Ferreira/CB/D.A Press                      )
Falta de recursos humanos gera sobrecarga e filas no atendimento - (crédito: Daniel Ferreira/CB/D.A Press )

O Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF), após realizar uma vistoria no Hospital Regional do Gama (HRG), apontou algumas falhas estruturais na unidade. De acordo com o presidente do CRM-DF, Farid Buitrago, a principal é a falta de recursos humanos. Segundo ele, há apenas um terço da quantidade de médicos necessários para atender corretamente a população. Diante dessa situação, o conselho vai notificar a Secretaria de Saúde e dar uma prazo para a pasta melhorar o cenário. Caso contrário, a unidade poderá ser interditada

"Isso leva a uma sobrecarga no trabalho, filas enormes de espera no atendimento", afirmou o presidente do CRM-DF, em vídeo. Além disso, segundo Farid, há uma superlotação na emergência do hospital e a estrutura é precária. "O CRM vai notificar a Secretaria de Saúde sobre a situação encontrada na unidade de pronto-socorro do Hospital do Gama. Daremos um tempo para a secretaria adote as medidas necessárias de melhoria", completou Farid.

"Caso as melhorias não sejam implementadas de forma adequada, a unidade corre risco de ser interditada, prejudicando ainda mais a população", alertou o presidente do CRM-DF. 

Procurada, a Secretaria de Saúde do DF informou que está em andamento a manutenção predial no HRG para correção de falhas estruturais. "Na emergência, a quantidade de leitos foi reduzida, com maior distanciamento entre as camas, para facilitar o acesso do profissional ao paciente. Ainda na emergência, doentes que ficavam internados no pronto-socorro foram transferidos para a enfermaria da clínica médica e o box da emergência, um dos pontos mais críticos, será ampliado", destacou, por meio de nota. 

"Também como parte das reformas, a sala de eletroencefalograma foi recuperada, assim como o posto 1 do pronto-socorro. Foi iniciada a reforma do posto 2, além da revitalização do telhado e adequação da Central de Material Esterilizado para instalação das autoclaves. Outra medida já adotada pela Secretaria de Saúde, diz respeito à contratação de médicos. Está publicado no Diário Oficial do DF de hoje edital do processo seletivo simplificado emergencial para contratação de médicos na especialidade de Clínica Médica, que serão distribuídos na rede pública, incluindo o HRG", completa a nota emitida pela pasta. 

Denúncias 

A vistoria, realizada nesta segunda-feira (16/8), foi motivada por denúncias de condições inadequadas de trabalho e de assistência à população no Hospital Regional do Gama (HRG). Um grupo de médicos e o Sindicato dos Médicos do DF (SindMédico-DF) denunciaram irregularidades na unidade de saúde.

Segundo o presidente do CRM-DF, Farid Buitrago, o Conselho tem conhecimento, por meio de queixas de profissionais, sobre condições inadequadas de trabalho, o que gera desassistência dos pacientes que procuram a unidade hospitalar. “Vamos realizar uma nova fiscalização para verificar as condições de trabalho. A interdição ética significa fechamento da unidade para reestruturação e adequação do atendimento à população, mas não queremos chegar nessa medida extrema. Queremos que a Secretaria de Saúde tome providências o mais rápido possível, para evitar passar por uma interdição ética da unidade de saúde, o que prejudicaria ainda mais a população”, explicou.


 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE