MAUS-TRATOS

Homem que soprou fumaça em cão pode ser condenado por maus tratos

Caso ocorreu em dezembro de 2020 e foi denunciado, à época, por advogada defensora dos direitos animais. Crime foi capturado por imagens de vídeo

Correio Braziliense
postado em 05/10/2021 16:35 / atualizado em 05/10/2021 16:36
À época do ocorrido, imagens de vídeos gravaram um homem não identificado segurando com força um cachorro pelo focinho e assoprando fumaça de cigarro no animal -  (crédito: Reprodução)
À época do ocorrido, imagens de vídeos gravaram um homem não identificado segurando com força um cachorro pelo focinho e assoprando fumaça de cigarro no animal - (crédito: Reprodução)

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) concluiu, nesta segunda-feira (4/10), investigação de maus-tratos a um cachorro, após 10 meses de ações. A operação foi instaurada pela 32ª Delegacia de Polícia (Samambaia Sul) a partir de ocorrência em 26 de dezembro de 2020, em via pública. O homem foi indiciado e está à disposição da Justiça para julgamento e eventual condenação.

O caso ocorreu na QR 516 de Samambaia Sul. À época do ocorrido, imagens de vídeos gravaram um homem não identificado segurando com força um cachorro pelo focinho e assoprando fumaça de cigarro no animal, forçando-o a inalar a substância. Além disso, o suspeito também encostou o cigarro aceso contra o focinho do cão.

A gravação mostra um tipo de cigarro semelhante ao da maconha, mas a PCDF diz que isso não pode ser confirmado, uma vez que não foi possível realizar perícia no material. De acordo com a polícia, não dá para afirmar tratar-se de cigarro de maconha apenas pelas imagens.

Contudo, os agentes ressaltaram ao Correio que, independentemente do tipo de fumo usado pelo autor, a prática de maus-tratos foi confirmada em um inquérito com provas robustas do crime, com provável condenação do homem pela Justiça.

Com base nas filmagens, exames periciais — como laudos de comparação facial e perícia criminal — e relatório de investigação, a polícia chegou ao investigado, um homem de 26 anos. Ele foi indiciado por praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos.

De acordo com a legislação, quando o animal vítima de maus-tratos é cachorro ou gato, a pena pode chegar a cinco anos de reclusão, multa e proibição da guarda.

Relembre

O jovem, sentado e com um cigarro em mãos, segura o cachorro por uma coleira. Em seguida, ele fuma a droga e, ao expirar, obriga o cão a inalar a fumaça. Durante alguns segundos, o animal tenta se desvencilhar do homem. A cena ocorreu em frente a uma mulher e uma criança. A moça, sentada ao lado dele, assiste à cena passivamente, sem impedir a ação.

Ana Paula Vasconcelos, advogada e vice-presidente da Comissão de Direitos dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Taguatinga, registrou um boletim de ocorrência sobre o caso à época do ocorrido.

  • Homem aparece em vídeo obrigando cachorro a inalar fumaça de cigarro de maconha, em Samambaia Sul
    Homem aparece em vídeo obrigando cachorro a inalar fumaça de cigarro de maconha, em Samambaia Sul Foto: Reprodução
  • Homem aparece em vídeo obrigando cachorro a inalar fumaça de cigarro de maconha, em Samambaia Sul
    Homem aparece em vídeo obrigando cachorro a inalar fumaça de cigarro de maconha, em Samambaia Sul Foto: Reprodução
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE