CB.Poder

"Espero muitas pessoas LGBT na política", diz Fábio Felix sobre homofobia

O deputado distrital foi o entrevistado do CB.Poder desta quarta-feira (06/10) e falou sobre lgbtfobia, CPI do Feminicídio, CPI do Iges e vacinação

Danielle Souza*
postado em 06/10/2021 17:03 / atualizado em 06/10/2021 17:03
 (crédito: Marcelo Ferreira)
(crédito: Marcelo Ferreira)

O deputado distrital Fábio Felix (PSOL/DF) foi o entrevistado do CB.Poder desta quarta-feira (06/10) — programa do Correio Braziliense em parceria com a TV Brasília. Na bancada, a conversa foi conduzida pela jornalista Gláucia Guimarães. O deputado começou falando sobre lgbtfobia e a importância de ter representatividade na política. Ele também falou sobre a Comissão parlamentar de inquérito (CPI) do Feminicídio e do Iges-DF, além da vacinação.

Para Fábio Felix, é importante ter pessoas LGBTs na política brasileira. A partir daí, acredita, vão surgir mudanças na sociedade em relação à homofobia. “Espero que nós tenhamos muitas pessoas LGBT na política, que acho que só assim a gente muda esse contexto de lgbtfobia”, diz. Sobre os ataques que o senador Fabiano Contarato (REDE/ES) recebeu nas redes sociais, o deputado diz saber o que o senador sentiu. “Eu sei o que ele passa, porque, em nível regional, como deputado distrital, passo por coisas parecidas e a gente vive uma cultura hoje de muita violência às pessoas LGBT ainda”, destaca.

Em relação à CPI do Feminicídio, Félix diz que resultou apenas em mudanças pontuais. Para ele, é importante que haja uma urgência em produzir políticas públicas por parte do Governo do Distrito Federal. “Esse fenômeno trágico da morte de mulheres precisa ser interrompido no Distrito Federal. A gente tem tentado alertar o poder público, o GDF da responsabilidade dessa urgência”, diz.

Sobre o Iges-DF, o Deputado conta que votou contra ele desde o início. “O Iges, hoje, tem se mostrado deficitário do ponto de vista financeiro, não tem nenhuma qualidade e todos os escândalos desse Governo estão centrados na gestão do Iges”, lamenta. Para ele, é importante que esse órgão seja investigado. Ele disse ainda que vai “lutar” pela CPI do Iges.

O deputado falou também sobre a CPI de maus tratos a animais ser algo que atrapalhe a investigação de outras frentes. “Infelizmente, me parece que essa CPI que foi instaurada agora é uma manobra política para evitar a instauração de outras CPIs”, explica.

Sobre a vacina, o deputado diz que houve um mau planejamento por parte do Governo em relação à vacinação no início, mas que, no momento, as coisas melhoraram, principalmente com a antecipação de doses e o oferecimento de doses de reforços. “Quem não vacinou, a gente espera que vacina o mais rápido possível”, finaliza.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE