Pandemia

Covid-19: primeiro dia sem máscaras no DF deixa população dividida

Item de proteção passou a ser opcional em ambientes abertos, e o governador Ibaneis Rocha (MDB) avalia liberar a obrigatoriedade do uso de máscaras em locais fechados. Média móvel de casos de covid-19 é a menor do ano

Samara Schwingel
postado em 04/11/2021 06:00
"Ainda tem um perigo, muita gente sem se vacinar, por isso acho que o uso ainda é necessário", diz Carlito Gonzaga - (crédito: Minervino Júnior/CB)

A não obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes abertos começou a valer nessa quarta- feira (3/11) no Distrito Federal e ainda divide a opinião pública. Pelas ruas, foi possível encontrar pessoas com máscaras, algumas com o item no queixo ou na mão, e aquelas que carregavam o equipamento à mostra. Enquanto os índices da pandemia de covid-19 estão em queda — a média móvel de casos dessa quarta-feira chegou a 158, a menor do ano — o governador Ibaneis Rocha (MDB) já manifestou que vai avaliar a obrigatoriedade de máscaras em locais fechados, ainda em dezembro.

De acordo com o decreto que dispõe das regras para o não uso da máscara, o item só pode ser dispensado em "ambientes abertos". No Setor de Diversões Sul, nas proximidades da Rodoviária do Plano Piloto, o estudante Carlito Gonzaga, 22 anos, estava descansando. Mesmo ao ar livre e distante de outras pessoas, ele usava máscara. "Ainda tem um perigo, muita gente sem se vacinar, por isso acho que o uso ainda é necessário", diz. Morador de Taguatinga Norte e vacinado com uma dose, o jovem perdeu dois tios para a covid-19. "Eles tinham entre 40 e 50 anos, sem comorbidades. Não estavam vacinados, porque ainda não havia disponibilidade de doses", lamenta.

Ao contrário de Carlito, o advogado Bruno de Mello, 40, fica confortável em não usar o item em áreas abertas. Ele conta que sentia dificuldade para respirar com as máscaras. "Quando entro em algum local, coloco. Ainda é obrigatório, não tem o que discutir", comenta. Ele teve covid-19 em janeiro, mas, agora vacinado, acredita estar mais seguro. "Tive sintomas leves, estou imunizado. Confesso que fico tranquilo em tirar a máscara quando estou ao ar livre", diz o morador da Asa Norte.

Meio termo

A produtora de eventos Neocilene da Silva, 46, avalia que encontrou um meio termo. "Quando não tem gente perto, fico sem. Quando alguém se aproxima, coloco. Acredito que a pandemia não vai acabar tão cedo", argumenta. Ela anda com o item no queixo. A moradora do Jardim Mangueiral afirma que não é o momento ideal para pensar na dispensa das máscaras em locais fechados. "Em março deste ano, fiquei internada com covid-19, 30 dias no leito. Senti na pele essa doença", relata.

A infectologista Ana Helena Germoglio afirma que o uso de máscaras garante maior proteção contra a covid-19 e que a desobrigação do item pode ser pensada sem urgência. "Apesar da queda dos índices da pandemia, ela ainda existe", ressalta. Para a médica, o uso do equipamento em ambientes abertos deve ser avaliado em cada caso. "Requer bom senso. As pessoas não podem se aglomerar, mesmo ao ar livre, pois podem acabar contraindo a doença", alerta.

Nessa quarta, o DF recebeu 74.880 doses da vacina da Pfizer, que serão distribuídas da seguinte forma: 49.140 como dose de reforço e 25.740 como primeira dose para adolescentes. Atualmente, podem se vacinar com a primeira pessoas com 12 anos ou mais. O reforço é restrito para idosos a partir de 60 anos e profissionais de saúde que tenham, pelo menos, seis meses entre a segunda dose; e imunossuprimidos graves com mais de 18 anos, mas o intervalo é de 28 dias. Ao todo, 133.414 tomaram o reforço.

 

Recorde

O DF bateu um novo recorde de queda da pandemia de covid-19. Nessa quarta-feira, a média móvel de casos chegou a 158, índice 68% menor do que o registrado há 14 dias. A mediana de mortes está em 8,71, uma queda de 37,11%, em comparação a duas semanas atrás. Nas últimas 24h, foram 188 ocorrências e oito óbitos. No total, são 515.399 infecções e 10.902 vítimas da doença. A taxa de transmissão está em 0,77, ou seja, um grupo de 100 pessoas passa o novo coronavírus para outras 77.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE