Águas Lindas

Suspeito de pedofilia usava jogo Free Fire para atrair e ameaçar 65 crianças

O homem foi preso em uma operação da PCGO em conjunto com a PCDF. Segundo as investigações, o criminoso armazenava diversas pastas com conteúdos pornográficos infantis

Darcianne Diogo
postado em 25/01/2022 19:48 / atualizado em 26/01/2022 09:30
Mensagem mostra ameaça de suspeito contra criança -  (crédito: Material cedido ao Correio)
Mensagem mostra ameaça de suspeito contra criança - (crédito: Material cedido ao Correio)

Uma mega-operação da Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) em conjunto com a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu um homem, de 45 anos, acusado de pedofilia. Segundo as investigações, o criminoso mantinha contato com mais de 65 crianças de 9 e 10 anos de todo o país, incluindo o DF, e obrigava as vítimas a enviarem conteúdos íntimos, sob ameaça de divulgar as imagens e vídeos na internet.

Durante o mandado de busca e apreensão cumprido na última segunda-feira (24/1), na cidade de Águas Lindas de Goiás — distante cerca de 48km de Brasília — o acusado foi surpreendido pelos policiais civis apagando conversas no celular dentro do quarto. “Haviam várias mensagens de vítimas nos telefones. Nós apreendemos os celulares e eles serão periciados”, destacou o delegado à frente do caso, Vinícius Máximo.

No celular, o acusado armazenava os conteúdos pornográficos infantis em várias pastas. Para cada vítima, ele criava um espaço de armazenamento com fotos e vídeos das crianças. De acordo com a apuração policial, ele mantinha contato com mais de 65 menores. A polícia investiga se houve mais vítimas.

Como agia


Para atrair as vítimas, o acusado se infiltrou no Free Fire, um jogo online popularmente conhecido por crianças e jovens. Nas conversas, ele fazia vídeo-chamada e propunha “desafios”. “A partir do momento que a criança enviava uma foto ou vídeo, ele dava início a uma série de ameaças, dizendo que se a vítima não mandasse mais imagens, iria divulgar o conteúdo na internet e aos pais delas”, frisou o delegado

Segundo o investigador, as vítimas eram sempre meninos. Em uma das conversas a qual o Correio teve acesso, o autor diz: “Então manda vídeo. Grava aí”. O menino responde: “Minha irmã está em casa”. Em resposta, o agressor ameaça: “Então vou postar agora”. E a criança responde: “Mano, minha vontade é se matar. Sério. Não faz isso.”

O homem foi preso em flagrante e acumula passagens em Padre Bernardo (GO) e no DF pelo mesmo crime. As investigações seguem no sentido de descobrir possíveis novas vítimas e saber se o autor chegou a encontrar pessoalmente alguma criança.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE