Afogamento

Criança se afoga e tem parada cardiorrespiratória em Planaltina

A menina chegou a ficar submersa por quatro minutos e foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal

Correio Braziliense
postado em 08/05/2022 15:30 / atualizado em 08/05/2022 16:55
 (crédito: Fernando Lopes/CB/D.A Press)
(crédito: Fernando Lopes/CB/D.A Press)

Uma criança de seis anos teve uma parada cardiorrespiratória após se afogar em uma chácara no Jardim Morumbi, em Planaltina/DF. O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) atendeu a ocorrência na tarde do último sábado (7/5), por volta das 14h40. 

A equipe de socorro chegou ao local em seis minutos e encontrou a menina inconsciente e em parada cardiorrespiratória. Segundo os parentes da criança, ela ficou submersa por quatro minutos, aproximadamente. 

O protocolo de reanimação foi iniciado e a vítima foi transportada para o Hospital Regional de Planaltina (HRP). 

Histórico

Nos primeiros meses deste ano, pelo menos cinco casos de afogamento infantil foram registrados no Distrito Federal. Em março, uma criança de três anos foi encontrada por um familiar no fundo da piscina de casa, no Assentamento 26 de setembro, localizado na região de Vicente Pires. O tio, responsável pelo resgate, percebeu a ausência do sobrinho na residência e foi procurá-lo. Ao ver que estava no fundo da piscina, de aproximadamente 1,2m de profundidade, pulou e retirou a criança.

Criança se afoga em piscina de casa e é resgatada pelo tio na manhã desta quarta-feira (1/3)
Criança se afoga em piscina de casa e é resgatada pelo tio na manhã desta quarta-feira (1/3) (foto: CBMDF)

Em seguida, ligou para os bombeiros. As equipes (formadas por vinte militares, cinco viaturas e profissionais da ala médica do Resgate Aéreo do CBMDF) encontraram a criança em parada cardiorrespiratória e, após 45 minutos realizando as intervenções de reanimação, a situação foi revertida. A criança foi entubada e levada inconsciente para o Hospital Regional de Taguatinga (HRT). 

No fim de fevereiro, outra criança foi resgatada por familiares na piscina de casa depois de sofrer um afogamento. A família sentiu falta do pequeno, de dois anos, quando o procuraram para servir o almoço. Buscaram por toda a residência até perceberem o corpo da criança na piscina. 

A avó relatou que o neto ficou cerca de um minuto e meio dentro da água. O pai, ao tirá-lo, realizou os procedimentos de reanimação até a chegada do Corpo de Bombeiros. A vítima, que estava em parada cardiorrespiratória, teve a situação estabilizada pela equipe médica e foi levada ao Hospital Santa Helena, na Asa Norte.  

Como evitar?

De acordo com o tenente Lauton, mergulhador do CBM, os pais e responsáveis podem tomar medidas para evitar os afogamentos em ambientes aquáticos. Confira quais:

  • Cercar o local com barras protetivas, de preferência verticais para a criança não escalar.
  • Redobrar a atenção para não perder o menor de vista;
  • Instalar dispositivos como ralos de anti sucção;
  • Reforçar as piscinas com lonas;
  • Utilizar nas crianças flutuadores certificados.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE