Espiritualidade

Vesak, a celebração do nascimento de Buda, ocorre neste domingo

De volta, após dois anos suspenso devido à pandemia, o Vesak celebra o nascimento de Buda, rendendo homenagem à histórica personalidade asiática. Evento ocorre neste domingo (15/5), na Asa Norte, em parceria com a Embaixada do Nepal

Paulo Martins*
postado em 14/05/2022 06:00
A última edição do Vesak, em 2019, contou com a parceria da Embaixada da Índia -  (crédito: Maria Eutenir Braga/Divulgação)
A última edição do Vesak, em 2019, contou com a parceria da Embaixada da Índia - (crédito: Maria Eutenir Braga/Divulgação)

Em reverência ao nascimento de Buda, o Vesak terá sua primeira edição desde o início pandemia, este ano, neste domingo (15/5), às 16h, na Praça da Harmonia Universal, na Asa Norte. O evento é reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) e terá a participação da Embaixada do Nepal no Brasil e do Grão-Mestre Moo Shong Woo, que assumiu o posto em 1974.

Colaboradora do Templo Shin-Budista de Brasília e curadora, desde a criação do evento em 2016, Maria Eutenir Custódio Braga, 78 anos, é responsável pelo Vesak. Integrante do templo a partir de 2000, ela passou por problemas de saúde na infância e se tornou adepta do budismo há mais de 60 anos. "Queria saber porque eu estava doente. Eu já fazia ioga, quando tinha sete anos. E isso é porque sou filha de camponeses, não tinha tanta instrução, mas com o tempo fui me aguçando. Perguntei para o universo qual era a minha missão no mundo. Fui respondida que deveria acreditar no que desejo, na proposta de vida e que deveria cuidar bem da saúde. Deixei de comer carne de porco e derivados de suínos. Não tive mais problemas de saúde. Desde então, procuro seguir esse caminho", relata.

O convite a essa homenagem está na representação de Buda, de acordo com a curadora. "Buda representa a recuperação das coisas, para reconhecer no outro e em si o melhor para atingir a paz e a harmonia. Temos certeza que as pessoas presentes vão se sentir bem porque estão dispostas a ser recebidas. Buda, desde criança, preferiu a simplicidade à nobreza. A proposta é estar sempre acolhendo as pessoas e esse acolhimento é o que queremos fazer", declara.

*Estagiário sob a supervisão de Guilherme Marinho

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE